Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O que significa ser paciente no casamento

COUPLE COOKING
Cultura RM Exclusive | Sofie Delauw | Getty Images
Compartilhar

"Coríntios" diz que o amor é paciente. Mas a paciência assume muitas formas surpreendentes em seu amor na vida real

“Tudo magicamente aparece na mesa: um chá, um sanduíche e o controle remoto da TV. E quem é a boa fada? Sou eu, claro”, diz Julia.

Uma vez por semana, o marido de Julia, Greg, vai ao supermercado e faz as compras. Todas as outras questões domésticas estão na lista de tarefas de Julia.

“Eu não sou uma dona de casa perfeita, mas com dois filhos pequenos e trabalho em tempo integral, até o mínimo requer muito. Mas Greg não vê isso. Sua mãe criou três filhos e nunca reclamou. Mas eu? Eu quero gritar, até jogar pratos (claro que sou eu quem irá limpar depois… então, o que isso importa?)”.

Mas isso não significa que Julia não tente ser paciente em seu casamento. “O amor é paciente, assim diz a minha amada carta de São Paulo aos Coríntios, e por isso me envergonho por não ter essa paciência. Não estou falando de paciência angelical”, ela sorri tristemente. “Gostaria apenas que Greg me ajudasse um pouco mais, mas não foi assim que ele foi criado. Até hoje seu pai não sabe em qual armário ele pode encontrar chá”.

Mas a falta de paciência não é necessariamente algo para se envergonhar. Divisão injusta de tarefas domésticas, por outro lado, certamente é. No caso de Julia, praticamente não há divisão. Uma vez por semana, Greg se torna um valente comprador que leva as compras para casa e está convencido de que cumpriu seu dever e está livre até o próximo sábado. Mas, quando uma esposa também tem um emprego fora de casa, o marido não deve apenas ajudar, mas também assumir igual responsabilidade pelo trabalho doméstico.

Paciência é trabalho em equipe, não martírio

Você e seu marido moram em na casa de vocês, mas às vezes você pode se sentir como se fosse o serviço de limpeza de um hotel. É fácil sentir que o seu marido e filhos são clientes no restaurante do hotel, enquanto você é a chef, subchefe, garçonete e lavadora

Às vezes alguém trará garfos e facas ou um copo perdido e você suspira de felicidade em um maravilhoso jantar em família. Mas você está tão cansada que em algumas noites, tudo o que você precisa para explodir é um olhar de desaprovação ou um pequeno comentário sobre os vegetais queimados. Você não se sentou hoje, está trabalhando com pouco sono e a crítica é a última coisa pela qual você tem paciência.

Esse tipo de paciência dinâmica pode ser causa de grande estresse e pode interferir nas relações familiares. Qualquer um que esteja se sentindo muito forçado pode ficar mal-humorado, mas em vez de cair na armadilha da “esposa irritável” que aparece em tantos quadrinhos e programas de TV, você pode fazer coisas para mudar a forma como seu casamento aborda as tarefas.

Você pode integrar seu marido à sua vida doméstica, em vez de silenciosamente (ou não tão silenciosamente) trabalhar sem descanso. Tente não desempenhar o papel de mártir porque, muitas vezes, esse papel é mais tirano do que qualquer outra coisa. Porque se você faz tudo sozinha, você também toma muitas decisões domésticas sozinha.

E paciência é o poder por trás da logística da vida doméstica. Se Julia quer estar em uma parceria, ela deve se comportar como uma parceira. Então, ao invés de se preocupar com o fato, ela pode dar a ele oportunidades de se envolver. Deixe-o propor algo para cozinhar para o jantar ou descobrir como reorganizar sua entrada excessivamente desordenada. Isso o ajudará a se sentir parte da equipe de tomada de decisões.

Melhor ainda? Dê a si mesmo um dia de folga e deixe-o fazer o show. Saia do papel de gerente da família. Todo mundo precisa de umas curtas férias de ser mãe de vez em quando. Um pouco de descanso e relaxamento pode fazer maravilhas para qualquer família.

Paciência é deixar alguém dirigir

Toda mulher gostaria de ter menos responsabilidades, mas ao mesmo tempo pode ter dificuldade em abdicar e criar uma democracia em casa. “Deixe que eu faço isso”, dizemos, e assumimos alegremente, porque faremos isso mais rápido e melhor. Não há tempo para estudar – o dia tem apenas 24 horas de duração. Ou talvez possamos encontrar tempo, mas falta-nos a paciência.

Aprenda a deixar ir. Simbolicamente, mova-se para o banco do passageiro. Dê ao seu marido o lugar que costumava ser o seu território.

Mas, esteja avisada: às vezes, as coisas podem piorar. O banheiro está “meio” limpo. Ele está satisfeito com o trabalho, pensando que ele mesmo reorganizou o armário de remédios. Mas a banheira ainda está suja e isso transparece no seu rosto.

Seu marido sente que ele falhou e não quer mais ajudar. Tente lembrar que nem tudo tem que ser feito imediatamente e da mesma maneira. Alguns terapeutas chamam isso de liberdade emocional: aceitar que as coisas nem sempre precisam ser feitas do seu jeito. Elas podem ser feitas pior ou mais devagar, mas, desde que sejam feitas, isso importa? Se você aceitar, encontrará menos fadiga, menos estresse e um melhor relacionamento com seu marido.

Paciência é resistir ao desejo de repreender

Muitos cônjuges caem no padrão de pensar que a paciência deve ser dada no tom de um professor que repreende um aluno fraco: “Quantas vezes tenho que te dizer? Não é aí que eu guardo essa louça. Você nunca presta atenção no que eu falo”.

Esses comentários incentivam o marido a corrigir seu comportamento e trabalhar junto com você? Claro que não. Eles são mais propensos a irritá-lo ou anestesiá-lo. E eles vão mantê-lo em seu cargo gerencial de “aquele que sabe melhor”… e também aquele que se sente mais e mais solitário, irritado e cansado.

Em vez disso, tente expressar as coisas sem a repreensão em sua voz. “Eu realmente preciso da sua ajuda nisso. Você pode escrever ou colocar um lembrete em seu telefone para ir amanhã?”. Não me entenda mal, essas palavras podem não ser fáceis de dizer, mas ser paciente não é fácil. É algo em que temos que trabalhar.

Paciência é uma recompensa pela paciência

Santo Agostinho em suas Confissões escreveu que a paciência é recompensada com paciência. Porque ser paciente é a capacidade de esperar sem experimentar raiva desnecessária, mostrando desânimo ou o desejo de corrigir. Você quer que seu marido faça melhor da próxima vez – então não faça isso por ele. Não critique, não corrija e não se mostre como sendo melhor que ele.

Paciência não precisa ser um ato destrutivo de sacrifício. Pode construir um relacionamento melhor, onde ele é mais paciente com você também. A paciência não é a chave para um casamento perfeito, mas é um dos passos em direção ao amor mais profundo… e isso é crucial para qualquer família, seja ela cheia de tarefas domésticas esquecidas e mal-feitas ou não.