Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

A única coisa que determina uma vida mais longa e feliz

SAVING MONEY
Shutterstock
Compartilhar

Mais uma prova de que não é o que acontece conosco, é o que fazemos com o que acontece conosco

Quando pensamos sobre o que contribui para uma vida feliz e saudável, geralmente tendemos a nos concentrar nas circunstâncias. Por exemplo, pesquisas mostram que pessoas que têm estabilidade conjugal e financeira tendem a ser mais felizes do que aquelas que não têm. Pessoas que tiveram uma infância feliz e bem ajustada tendem a ser mais felizes e saudáveis ​​do que aquelas que não tiveram. As pessoas que tiveram a oportunidade de buscar educação superior tendem a ser mais felizes e saudáveis ​​do que as que não o fizeram, e assim por diante.

Mas um estudo recente da Universidade de Harvard está abalando a compreensão do que realmente contribui para a felicidade. O Landmark Study of Adult Development rastreou a vida de três grupos diferentes de pessoas – graduados em Harvard socialmente favorecidos, homens da cidade socialmente desfavorecidos e mulheres de classe média intelectualmente talentosas – durante seis a oito décadas de suas vidas. O que eles descobriram é que as circunstâncias realmente contribuem para – ou diminuem – a saúde e a felicidade humana… pelo menos até certo ponto. Mas, como o Business Insider relatou, a maneira como respondemos a essas circunstâncias pode abrandar seus efeitos – tanto positivos quanto negativos:

Culpar os outros, ser passivo-agressivo, viver em negação, agir e recuar para a fantasia eram todos mecanismos de enfrentamento desadaptativos associados a resultados ruins. Esses comportamentos acalmaram sentimentos ruins a curto prazo e causaram estragos no longo prazo, arruinando relacionamentos e produzindo péssimas decisões sobre a vida. Aqueles que prosperaram escolheram métodos mais maduros de enfrentamento, como altruísmo, elevação, moderação e humor.

Mas aqueles que realmente prosperaram levaram isso a um nível ainda maior… a melhor maneira de melhorar a sua vida é ser desinteressado e se concentrar em ajudar as pessoas ao seu redor.

Não podemos controlar o que acontece conosco em nossa infância e nem sempre podemos controlar o que acontece conosco quando adultos. Às vezes um casamento que parece estável desmorona sob nossos pés, ou um trabalho sólido como uma rocha desaparece da noite para o dia, deixando-nos perplexos e confusos… por respostas e por soluções.

Mas a única coisa que podemos controlar é a maneira como respondemos à realidade. Eu digo aos meus filhos isso o tempo todo. Eles vêem isso quase como um golpe duplo – não apenas eles estão sofrendo uma injustiça, mas eles também devem responder com paciência e graça?

Mas o problema é que controlar nossa resposta não é apenas mais uma parte desagradável da vida – é uma oportunidade. A capacidade de transformar nosso sofrimento em virtude de nossa resposta é um dos maiores dons da humanidade, e é um dos principais indicadores de quanto tempo viveremos e quão feliz essa vida será.

Quando escolhemos responder à injustiça com resiliência, paciência e humor, estamos escolhendo não nos deixar ser derrotados por nossas circunstâncias. E quando decidimos transformar essa experiência negativa em algo positivo, usando o que sofremos para ajudar os outros a viver uma vida melhor, estamos escolhendo superar essas circunstâncias e literalmente mudar a vida de outra pessoa para melhor.

Esse é o marcador mais significativo que o estudo de referência encontrou para aqueles que viveram as vidas mais longas e alegres – eles não necessariamente têm as melhores infâncias, são economicamente favorecidos ou têm a melhor educação. Mas eles pegaram o que tinham e encontraram uma maneira de transformar isso em um dom para os outros.

No final, a melhor maneira de garantir que sua vida seja saudável e feliz é vivê-la virtuosamente e fazer aos outros o que você gostaria que fizessem com você… não importa o que aconteça.