Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

4 maneiras de ser a melhor tia do mundo

FUN,AUNT,BABYSITTER,CHILD
Shutterstock
Compartilhar

Eu não sou uma tia perfeita, mas depois de uma década ostentando o título, aqui estão quatro coisas que aprendi

Eu tenho quatro sobrinhas e um sobrinho. Seja indo visitá-los, ligando para eles ou rezando por eles, ser uma tia é um grande trabalho.

Este ano, minha sobrinha mais velha completou 10 anos e quando isso aconteceu, senti muitas coisas. O primeiro sentimento foi de espanto. Por 10 anos, eu amei, cuidei e pensei em alguém mais do que eu. O segundo sentimento foi de tristeza. Minha sobrinha não é mais um bebê. Ela está crescendo em um mundo que está ficando mais interessante. Só espero que nosso tempo juntas continue a causar impacto em sua vida. O último sentimento foi de imperfeição. Eu era capaz de desempenhar um papel maior em sua vida? Agora que ela tem 10 anos, ela pode precisar de algum conselho real de sua tia. E para ser honesta, não acho que esteja pronta para isso.

Eu não sou uma tia perfeita, mas depois de uma década ostentando o título, aqui estão as quatro coisas que aprendi…

1. Aprecie as crianças enquanto elas são pequenas

“Meu Deus, eu tenho uma sobrinha de 10 anos de idade”. Essas são as palavras que eu disse quando acordei no aniversário da minha sobrinha. Eu não podia acreditar que 10 anos atrás, minha irmã veio até minha escola e me disse que estávamos recebendo uma linda menina em nossa família. Voltando a este momento, foi o momento mais feliz da minha vida. Meus pais teriam seu primeiro neto e eu teria minha primeira sobrinha.

De obsessão constante sobre que roupas comprar para ela até decidir quem era autorizado a ser um influenciador em sua vida (sim, eu sou essa tia!), ficou bem claro no início que eu estava apaixonada por esse novo ser humano. Embora agora eu tenha sentido sentimentos semelhantes mais quatro vezes desde o nascimento dela, a conclusão honesta disso é que o tempo passa muito rapidamente e, antes que você perceba, você está olhando para um de 10, 9, 8, 6 e 1 ano de idade. Mesmo na qualidade de tia, os bebês não ficam bebês. Eles crescem, formam suas próprias opiniões e não se importam de compartilhar isso. A vida passa rápido, especialmente quando vejo minhas sobrinhas e sobrinhos crescerem. Nem sempre posso ir a cerimônias de premiação escolar ou estar lá para brincar, mas aprendi a aproveitar o tempo que tenho com eles e a documentar todos os momentos.

2. Não faça promessas que você não pretende cumprir

Não existem melhores detetives do que uma criança de 4 ou 5 anos de idade. Eu não posso contar quantas vezes eu disse algo, não segui completamente, e minhas sobrinhas ou sobrinho me lembram do que eu disse. Se você quer se comprometer com alguma coisa, conte para uma criança e ela fará com que você nunca se esqueça. Em certas idades, tudo o que eles esperam e querem fazer vem dos adultos que estão em suas vidas. Se os adultos estão dizendo algo ou prometendo coisas, as crianças se lembram disso, porque sabem que os adultos são a única maneira de receber essas coisas. Quando isso não acontece, eles nos lembram.

Eu aprendi que se eu quero fazer alguma coisa, mas não tenho certeza se posso, eu não digo nada até ter certeza. Uma vez que os planos são definidos em pedra, então eu digo a minhas sobrinhas e sobrinho. Ser uma tia me ensinou que não só minha presença é importante, mas minha palavra também. Eles se apegam ao que eu digo para eles. Portanto, é importante para mim dizer e fazer coisas que eu não importaria de ser lembrada por eles.

3. Não se esforce pela perfeição

Ter uma pessoa pequena, ou no meu caso, um monte de gente pequena olhando para mim me levou a buscar uma vida de perfeição. Eu aprendi rapidamente que isso não era possível. Alguns dos momentos mais profundos que tive com meus sobrinhos e sobrinhas foram quando cometi um erro e tive que me desculpar. Eles gostam de ver que eu sou humana e sinto uma paz não tentando agir como se eu não fosse. As crianças são boas em pedir desculpas porque não sentem vergonha. Você se lembra da última vez em que você não se envergonhou de quem você era e dos erros que cometeu?

Meus sobrinhos e sobrinhas não só me mantêm jovem, como também me mantêm honesta sobre minhas capacidades e como melhor servi-las como tia deles. Eles continuamente me lembram que não é na minha perfeição que eu os sirvo melhor, mas sim na minha humanidade.

4. Passe muito tempo juntos

Através dos meus 10 anos sendo uma tia, aprendi que as crianças valorizam o tempo. Elas adoram saber que alguém gosta de sair com elas. Quando criança, lembro-me da emoção de poder ir até a casa da minha avó porque ela me convidou para ir. Independente se passávamos o dia fazendo nada ou tudo, eu só gostava da companhia dela. Essa é a mesma excitação que vejo em minhas sobrinhas e sobrinhos quando anuncio que vou vê-los.

Não há nada mais importante do que passar tempo com as pessoas pequenas em nossas vidas. Elas nos mantêm jovens, nos mantêm honestas e, como o tempo passa rapidamente, eles nos ajudam a aproveitar cada momento de suas jovens vidas. Consegui ajudar a criar cinco pessoas pequenas e interessantes e aproveito cada momento. Estou ansiosa para o que os próximos 10 anos reservam para nós.