Aleteia
Sexta-feira 23 Outubro |
São Paulo Tong Viet Buong
Religião

Missa em São Petersburgo lembra 425 sacerdotes mártires do comunismo

Saint-Petersburg Theological Academy/Flickr

Reportagem local - publicado em 07/11/18

Assassinados entre 1918 e 1958 em campos de concentração, presídios ou no exílio por ordem de autoridades comunistas da União Soviética

Neste fim de semana, em São Petersburgo, na Rússia, foram recordados os 425 sacerdotes católicos de diversos ritos que foram assassinados entre 1918 e 1958, em campos de concentração, em presídios ou no exílio, por ordem de autoridades comunistas da extinta União Soviética. Entre os mártires havia 8 de origem armênia, 19 bielorrussos, 4 georgianos, 6 letões, 23 lituanos, 64 alemães, 277 poloneses, 16 russos, 1 eslovaco e 7 ucranianos.

Dentro de uma jornada de oração pela beatificação dos novos mártires católicos russos, a Eucaristia votiva do Preciosísimo Sangue de Cristo foi presidida pelo arcebispo católico de Moscou, dom Paolo Pezzi, FSCB, e concelebrada pelo núncio apostólico na Rússia, dom Celestino Migliore; pelo presidente da Conferência dos Bispos Católicos da Rússia, dom Klemens Pickel, bispo de Saratov; por dom Józef Werth, bispo de Novosibirsk; e por dom Ciril Klimowicz, bispo de Irkutsk.

Em representação do Vaticano, participaram o arcebispo de Minsk-Mogilev, na Bielorrússia, dom Tadeusz Kondrusiewicz, e o secretário adjunto da Congregação para o Clero, dom Jorge Carlos Wong.

Os sacerdotes martirizados foram recordados pelo pe. Krzysztof Pozarski, da paróquia de Santo Estanislau, em São Petersburgo. É ele o postulador do processo de beatificação dos mártires católicos russos do século XX.

No final da Missa foi lida a Ata de Martírio dos sacerdotes presos nas Ilhas Solovetsky, além de recitada uma oração com os nomes de todos os 425 sacerdotes mártires do regime comunista soviético.

A jornada de oração recordou também as palavras do Papa São João Paulo II em sua carta apostólica Tertio Millennio Adveniente:

“Em nosso século voltaram os mártires, com frequência desconhecidos, quase ‘militi ignoti’ (soldados desconhecidos) da grande causa de Deus. Na medida do possível, não devem perder-se na Igreja os seus testemunhos”.

____________

Com informações da Agência Informativa Católica Argentina (AICA)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
comunismoMártiressacerdotes
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
nuvens sinais
Reportagem local
Estão sendo fotografados "sinais do céu"?
Extremistas queimam igrejas no Chile
Francisco Vêneto
Por que queimam igrejas: Dom Henrique e Pe. J...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia