Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O que os sinos têm a ver com o Angelus?

Visita Quito-(CC BY-NC-ND 2.0)
Compartilhar

As badaladas têm origem em uma antiga prática de oração

Ao caminhar por uma igreja católica, é comum ouvir o toque dos sinos das igrejas ao longo do dia. Além de marcar a hora, os sinos tocam várias vezes em três momentos específicos do dia.

Os sinos nasceram de uma tradição antiga na Igreja Católica de rezar a oração conhecida como Angelus. O nome vem da primeira palavra da oração em latim, Angelus Domini nuntiavit Mariæ (“O Anjo do Senhor anunciou Maria”). É uma oração que recorda a encarnação de Jesus Cristo e invoca a intercessão da Bem-Aventurada Virgem Maria.

As badaladas têm origem num costume monástico de tocar sinos para chamar os monges à oração. Por muitos séculos, homens e mulheres religiosos adotaram o costume de orar várias vezes ao dia, com base em uma prática judaica encontrada no Antigo Testamento.

O povo judeu rezava três vezes ao dia: manhã, tarde e noite. E os primeiros cristãos continuaram esta prática. Com o tempo ela se tornou um costume: rezar o Angelus às 6h da manhã, ao meio-dia e às 18h. São estes os momentos em que você ouve os sinos da igreja tocarem por mais tempo.

Os sinos também tocam em um padrão específico, dando uma ideia de como orar. O padrão é frequentemente o seguinte conjunto de badaladas: 3-3-3-9. O esquema corresponde aos quatro conjuntos de orações do Angelus. 

Abaixo está a oração do Angelus que é recitada durante a maior parte do ano. Somente na época da Páscoa ela é substituída pelo Regina Coeli:

 

[3 badaladas]

V/ O Anjo do Senhor anunciou a Maria,

R/ E Ela concebeu do Espírito Santo. 

Ave Maria.

 

[3 badaladas] 

V/ Eis a escrava do Senhor.

R/ Faça-se em mim segundo a Vossa palavra.

Ave Maria.

 

[3 badaladas] 

V/ E o Verbo se fez Carne,

R/ E habitou entre nós.

 Ave Maria.

 

[9 badaldas]  

V/ Rogai por nós, Santa Mãe de Deus,

R/ Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Oremos:  Infundi, Senhor, em nossas almas a Vossa graça, para que nós, que conhecemos, pela Anunciação do Anjo, a Encarnação de Jesus Cristo, Vosso Filho, cheguemos, por sua Paixão e morte na cruz, à glória da Ressurreição. Pelo mesmo Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.