Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Santa Gertrudes, padroeira dos místicos

GERTRUDE THE GREAT
Compartilhar

Séculos antes que Jesus aparecesse a Santa Margarida Maria Alacoque, ela já teve experiências místicas com o Seu Sagrado Coração

Na Igreja, são chamadas de “místicas” as pessoas que recebem de Deus o extraordinário privilégio de uma relação profunda, direta e sensível com Ele, que lhes transmite mensagens e revelações e lhes concede graças de especialíssimo fervor na vida de oração (embora, com frequência, permeado por fases de drástica aridez espiritual como provação na fé). Há também casos de místicos agraciados com dons sobrenaturais visíveis como a levitação, a bilocação, os estigmas da Paixão de Cristo, entre outros.

Não há uma “definição formal” na Igreja sobre as pessoas místicas, mas o Catecismo nos esclarece, nos seguintes números sobre a santidade cristã, que a “mística” é, basicamente, a união cada vez mais íntima com Cristo:

2014. O progresso espiritual tende para a união cada vez mais íntima com Cristo. Esta união chama-se «mística», porque participa no mistério de Cristo pelos sacramentos – «os santos mistérios» – e, n’Ele, no mistério da Santíssima Trindade. Deus chama-nos todos a esta íntima união com Ele, mesmo que graças especiais ou sinais extraordinários desta vida mística somente a alguns sejam concedidos, para manifestar o dom gratuito feito a todos.

2015. O caminho desta perfeição passa pela cruz. Não há santidade sem renúncia e combate espiritual. O progresso espiritual implica a ascese e a mortificação, que conduzem gradualmente a viver na paz e na alegria das bem-aventuranças:

«Aquele que sobe, nunca mais pára de ir de princípio em princípio, por princípios que não têm fim. Aquele que sobe nunca mais deixa de desejar aquilo que já conhece».

A padroeira dos místicos cristãos

A Igreja também venera uma santa considerada padroeira das pessoas místicas: Santa Gertrudes, vidente do Sagrado Coração de Jesus, cuja festa litúrgica é celebrada em 16 de novembro.

VIDA RELIGIOSA – Nascida na Alemanha em 6 de janeiro de 1256, ela foi enviada aos 5 anos de idade para estudar no mosteiro beneditino de Helfta, onde sua irmã, Santa Matilde, foi abadessa e sua professora. Após tomar o hábito, na adolescência, ela se tornou amiga de Santa Matilde de Hackeborn, que, assim como ela própria, também era especial devota do Sagrado Coração de Jesus.

SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS – Aliás, muitos séculos antes que Jesus aparecesse a Santa Margarida Maria Alacoque, Santa Gertrudes já teve experiências místicas com o Seu Sagrado Coração. A religiosa de comunhão frequente e vívida devoção a São José teria chegado, em duas visões, a reclinar a cabeça sobre o peito de Jesus, ouvindo as batidas do Seu Coração. Em outra visão, Santa Gertrudes perguntou a São João Evangelista, que também reclinara a cabeça junto ao Coração de Cristo durante a Última Ceia, por que ele não tinha escrito nada sobre o Coração de Jesus. O Apóstolo respondeu que a revelação do Sagrado Coração de Jesus estava reservada para tempos posteriores, quando a frieza do mundo viesse a precisar de modo especial de um reavivamento no amor.

GERTRUDE THE GREAT
PD

“REVELAÇÕES DE SANTA GERTRUDES” – Cinco livros que compõem o “Arauto da Amorosa Bondade de Deus”, também conhecidos como “Revelações de Santa Gertrudes”, são atribuídos a ela direta ou indiretamente: o primeiro volume foi escrito por amigos íntimos da religiosa, enquanto o segundo foi obra dela própria e os seguintes foram redigidos sob a sua direção. Os textos falam das suas experiências místicas e, entre outras lições, tratam da relação entre sofrimento e graça: “A adversidade é a aliança espiritual que sela os esponsais com Deus”, lê-se numa passagem. De fato, Santa Gertrudes sofreu enfermidades dolorosas durante dez anos até partir desta vida para a Casa do Pai em 17 de novembro de 1301 ou 1302. O Papa Clemente XII determinou que a sua festa litúrgica fosse celebrada em toda a Igreja.

ALMAS DO PURGATÓRIO – Em uma das suas visões, Santa Gertrudes recebeu de Jesus uma oração breve, mas muito especial: toda vez que ela a rezasse, Ele poderia libertar mil almas do purgatório. Você pode conhecer e fazer essa mesma oração:

_____________

A partir de matéria da ACI Digital