Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Uma carta aberta aos casais que ainda não estão prontos para crianças

Shutterstock
Compartilhar

Não há como estar totalmente preparado, mas aqui está o que você precisa saber

Queridos casais que ainda não se sentem prontos para ter filhos:

Recentemente, depois de ter meu segundo filho, alguns amigos íntimos que me conhecem desde que eu era solteira comentaram sobre como eles não podem acreditar que eu sou mãe de dois.

Francamente, eu sinto o mesmo. Eu olho para meus filhos – esses seres humanos lindos, complexos e dependentes que Deus nos abençoou – e me pergunto quando meu marido e eu nos preparamos para a paternidade.

E então pensei: nunca houve um ponto em que eu estava pronta para a maternidade e até hoje, eu ainda não estou.

Isso significa que me arrependo de ter filhos? Não. Na verdade, é exatamente o contrário. Abrir nossos corações e vidas para a criação de uma nova vida foi a melhor decisão que já fizemos.

Mas, na verdade, não acho que haja uma maneira de estar pronto para ser pai/mãe, mesmo depois de você entrar nisso. É um papel muito dinâmico e extraordinário, sempre exigindo novos feitos, físicos e emocionais.

Eu entendo as razões sem fim que os casais têm para adiar a gravidez e não discordo. Querendo estar mais seguros financeiramente, realizando objetivos educacionais ou de carreira, ou simplesmente desejando desfrutar um pouco de tempo juntos como recém-casados.

O que estou dizendo é que, mesmo depois de ter economizado algum dinheiro, obter um diploma, subir a escada corporativa ou ter alguns anos para se estabelecer na vida conjugal, você ainda não vai se sentir pronta para a paternidade. Ninguém nunca está pronto.

Não porque seja uma responsabilidade tão grande para a qual não há como se preparar; mas porque se tornar um pai/mãe, como um sacerdote perspicaz uma vez me disse, significa permitir que seu coração exista fora de seu corpo. Significa entrar em um novo nível de vulnerabilidade ao assistir a uma pequena parte de você se tornar um indivíduo distinto. Significa permitir que você seja completamente dependente de uma maneira que você nunca pensou ser possível por um pequeno alguém que adiciona uma dimensão inteiramente nova de significado, felicidade e amor à sua vida.

Mesmo com dois pequeninos, ainda não me considero qualificada para esse tipo de responsabilidade e não estou sozinha. Como o comediante Jim Gaffigan diz, “toda noite antes de eu ter uma hora de sono, eu tenho o mesmo pensamento: ‘Bem, isso é um filme como se eu soubesse o que estou fazendo’. …Na maioria das vezes, eu me sinto totalmente desqualificado para ser pai”.

Essa é a grande ironia da paternidade. Uma ou mais pessoas ignorantes que provavelmente estão certas de que têm tudo são totalmente dependentes de seus pais que, mais provavelmente, estão certos de que eles quase não compreendem.

E mesmo que eles pensassem antes de ter filhos que eles estavam 100% preparados para isso, eles rapidamente perceberam o quanto estavam errados.

Lauren Hartmann, mãe e escritora da Babble.com, admitiu, “não tenho ideia do que estou fazendo e eu sou uma mãe que também possui diploma em desenvolvimento infantil. Todos estamos fazendo o melhor que podemos e aprendemos enquanto fazemos”.

Tornar-se mãe ou pai é tão magnificamente diferente de qualquer outro papel que você já tenha realizado exatamente porque solta sua mente. A quantidade de trabalho, dinheiro, caos, mas também o riso, a alegria e, especialmente, o amor inimaginável que vem junto com ele continuam a surpreender-me. Qualquer um que diga, “eu estava inteiramente consciente do que aconteceria quando tivesse filhos e não me surpreendi absolutamente com nada” é um robô ou um mentiroso.

Não estou tentando convencê-los a ter filhos imediatamente. A última coisa que eu quero é fazer ainda mais pressão, já que vocês provavelmente já estão sentindo isso graças às mídias sociais e aos pais bem intencionados que parecem desejar netos como se fosse um rito de passagem. Minha única intenção é chamar-lhes a atenção de que se vocês estiverem pacientemente aguardando sua preparação completa para a paternidade, isso não vai acontecer.

Como uma mãe sábia disse a Hartmann: “você nunca está realmente pronta para a maternidade. Apenas fique o mais preparada possível e depois mergulhe”.

Confie em mim. Será a melhor decisão que você já fez.