Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Como era a fisionomia de Jesus?

RUINS OF SHIVTA
Catherine Leblanc | Godong
Compartilhar

Uma rara imagem do rosto de Cristo foi encontrada em Israel. E ela é bem diferente da representação a que estamos acostumados

A historiadora de arte Emma Maayan-Fanar estava conduzindo um exame arqueológico das ruínas de Shivta, no deserto de Negev, quando, em uma parede incrustada de sujeira, notou um par de olhos espreitando-a. A limpeza cuidadosa revelaria uma representação antiga do batismo de Cristo. A descoberta é considerada “extremamente rara” porque as primeiras imagens de Cristo são praticamente inexistentes em Israel.

“O rosto dele está bem ali, olhando para nós”, disse Maayan-Fanar ao jornal Haaretz. “Eu estava lá na hora certa, no lugar certo com o ângulo certo de luz e, de repente, vi os olhos. Era o rosto de Jesus no batismo, olhando para nós. ”

Ela passou a discutir as diferenças entre essa imagem antiga e a maneira como os ocidentais consideram a aparência de Cristo. No Ocidente, Jesus é representado como um homem alto, com longos cabelos esvoaçantes e pele pálida. Porém o Christian Post o descreve “com cabelos crespos e curtos, um rosto comprido e um nariz alongado”.

No início de 2018, Joan E. Taylor, professor de origens cristãs no King’s College de Londres, lançou um livro que tenta responder à pergunta (que também é o título do livro): “como era a fisionomia de Jesus?” (“What Did Jesus Look Like?”). Ele escreveu sobre o tema no jornal Irish Times:

“As primeiras representações de Jesus – que estabeleceram o modelo segundo o qual ele continua sendo representado hoje –  foram baseadas na imagem de um imperador e influenciadas por representações de deuses pagãos. O cabelo comprido e a barba são importados especificamente da iconografia do mundo greco-romano. Algumas das representações mais antigas de Jesus o retratam como essencialmente uma versão mais jovem de Júpiter, Netuno ou Serápis. Em termos de cores, podemos pensar em cabelos castanho-escuros a pretos, olhos castanhos, pele cor de azeitona. Jesus teria sido um homem de aparência do Oriente Médio. Em termos de altura, os homens daquela época tinham, em média, 1,66 m”.

Os pesquisadores acreditam que a imagem de Cristo encontrada na parede tenha entre 1500 e 1800 anos.

As ruínas do antigo assentamento foram descobertas em 1871, mas em todo este tempo os arqueólogos que têm estudado o local nunca tinham visto a imagem. Houve, no entanto, outra imagem descoberta que simboliza a transfiguração, mas não mostra a face de Cristo.

Clique aqui para ver a imagem.