Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O Pai-Nosso que Jesus ensinou a Santa Matilde pelas almas do purgatório

JESUS SPEAKING TO CROWD
Public Domain
Compartilhar

Jesus lhe revelou as intenções de cada frase da oração que Ele mesmo nos legou

Santa Matilde (895-968) era filha de nobres e foi educada junto a um mosteiro beneditino. Casou-se com Henrique I, rei da Alemanha, mas soube resistir bem às tentações do poder. Teve cinco filhos, a quem procurou ensinar a fé cristã, e era também considerada como “a mãe do povo”, graças às obras que realizava em prol de muitos. Após a morte do marido, porém, seus filhos se deixaram levar pela ganância e acusaram a própria mãe de desperdiçar os bens com os pobres. Ela se retirou a um convento, de onde intercedia com oração e sacrifícios pela conversão dos filhos amados. Eles enfim tomaram consciência da injustiça que estavam cometendo, pediram perdão e retornaram aos princípios do Evangelho. Matilde continuou ajudando ainda mais pessoas pobres até partir para o Reino verdadeiro no ano de 968.

Foi a Santa Matilde, após a Sagrada Comunhão oferecida pela libertação das almas do purgatório, que Jesus um dia inspirou:

“Reze por elas um Pai-Nosso em união com a mesma intenção que Eu tive ao tirá-lo do Meu Coração para ensiná-lo aos homens”.

A inspiração divina desvendou então à santa quais eram as intenções de Jesus ao nos ensinar cada frase do Pai Nosso em prol das almas. Quando Santa Matilde terminou de rezá-lo com essas intenções, teve a visão de uma grande multidão de Almas que davam graças a Deus pela libertação do purgatório, em extrema felicidade.

As intenções do Pai-Nosso

Eis a revelação das intenções do Pai-Nosso tais como inspiradas por Jesus a Santa Matilde:

Pai nosso, que estais no Céu

Eu Vos peço humildemente, Pai Eterno, Benevolente e Misericordioso, que perdoeis às almas do purgatório não Vos terem amado nem prestado toda a honra a Vós devida como Seu Senhor e Seu Pai, que, por pura graça, as adotastes como filhas Vossas. Antes, por causa dos seus pecados, fecharam o coração em que Vós queríeis habitar para sempre. Em reparação dessas faltas, eu Vos ofereço o amor e a veneração que o Vosso Filho Encarnado Vos testemunhou ao longo da Sua vida neste mundo e Vos ofereço todos os atos de penitência e de reparação que Ele cumpriu e pelos quais pagou e expiou os pecados dos homens.

Santificado seja o Vosso Nome

Eu Vos peço humildemente, Pai Eterno, Benevolente e Misericordioso, que perdoeis às almas do purgatório não terem honrado dignamente o Vosso Santo Nome: elas o pronunciaram muitas vezes distraidamente e, com sua vida de pecado, se tornaram indignas do nome de cristãos. Em reparação das faltas que cometeram, eu Vos ofereço toda a honra que o Vosso Filho Bem-Amado rendeu ao Vosso Nome, com palavras e atos, ao longo de toda a Sua vida neste mundo.

Venha a nós o Vosso Reino

Eu Vos peço humildemente, Pai Eterno, Benevolente e Misericordioso, que perdoeis às almas do purgatório não terem procurado nem desejado o Vosso Reino com intenso fervor e empenho; o Reino que é o único lugar em que impera o verdadeiro repouso e a paz eterna. Em reparação pela indiferença em fazer o bem, eu vos ofereço o ardente desejo do Vosso Divino Filho de torná-las também herdeiras do Seu Reino.

Seja feita a Vossa Vontade assim na terra como no Céu

Eu Vos peço humildemente, Pai Eterno, Benevolente e Misericordioso, que perdoeis às almas do purgatório não se terem submetido sempre e com devoção à Vossa Vontade. Elas não procuraram cumprir a Vossa Vontade em todas as coisas e, muitas vezes, cederam e agiram fazendo unicamente a delas próprias. Em reparação da sua desobediência, eu Vos ofereço a perfeita conformidade do Coração cheio de Amor do Vosso Filho à Vossa Santa Vontade e a submissão total que Ele Vos testemunhou, obedecendo-Vos até à Sua morte na Cruz.

O pão nosso de cada dia nos dai hoje

Eu Vos peço humildemente, Pai Eterno, Benevolente e Misericordioso, que perdoeis às almas do purgatório não terem recebido sempre o Santo Sacramento da Eucaristia com intenso desejo. Elas o receberam muitas vezes sem recolhimento, sem amor, ou indignamente, ou mesmo negligenciaram recebê-lo. Em reparação de todas estas faltas que cometeram, eu Vos ofereço a plena santidade e o grande recolhimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Divino Filho, bem como o ardente amor com que ofereceu a nós este dom incomparável.

Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido

Eu Vos peço humildemente, Pai Eterno, Benevolente e Misericordioso, que perdoeis às almas do purgatório todas as faltas de que se fizeram culpadas ao sucumbir aos sete pecados capitais e ao não quererem amar nem perdoar aos seus inimigos. Em reparação de todos estes pecados, eu Vos ofereço a Oração cheia de Amor que o Vosso Divino Filho Vos dirigiu em favor dos Seus inimigos quando estava na Cruz.

E não nos deixeis cair em tentação

Eu Vos peço humildemente, Pai Eterno, Benevolente e Misericordioso, que perdoeis às almas do purgatório as muitas vezes em que não resistiram às tentações e paixões, mas seguiram o inimigo de todo bem e se abandonaram às fraquezas da carne. Em reparação de todos esses pecados em múltiplas formas, dos quais se reconhecem culpadas, eu Vos ofereço a gloriosa Vitória que Nosso Senhor Jesus Cristo trouxe ao mundo, assim como a Sua Vida Santíssima, o Seu trabalho e Suas penas, o Seu sofrimento e a Sua crudelíssima Morte.

Mas livrai-nos do mal

Eu Vos peço humildemente, Pai Eterno, Benevolente e Misericordioso, que nos livreis de todos os flagelos pelos méritos do Vosso Filho Bem-Amado, e que nos conduzais, bem como às almas do purgatório, ao Vosso Reino de Glória eterna que se identifica Convosco.

Amém.