Aleteia

A corajosa última oração destas 4 freiras antes de serem mortas por terroristas

missionárias mártires iêmen
Missionárias da Caridade
Compartilhar

Religiosas da Madre Teresa de Calcutá foram assassinadas no país que sofre hoje a pior crise humanitária do planeta

Em meio à guerra infame que foi imposta em grande medida pela Arábia Saudita ao povo do Iêmen, um dos países mais pobres da Terra, foi noticiado mundialmente em 21 de novembro de 2018 um relatório da organização Save the Children segundo o qual a quantidade de crianças iemenitas menores de 5 anos que morreram DE FOME no país ao longo dos 3 anos de guerra decorridos até o lançamento daquele relatório ultrapassaria o bárbaro número de 85 mil.

O caos no Iêmen já vinha de anos. Entre as suas muitas desgraças, destacava-se a proliferação de atentados terroristas como o que atingiu em 4 de março de 2016 as Missionárias da Caridade, conhecidas em todo o mundo como as freiras da Madre Teresa de Calcutá. Na ocasião, a casa das religiosas, que abrigava idosos e pessoas com necessidades especiais na cidade de Aden, foi atacada por terroristas islâmicos que sequestraram um sacerdote e assassinaram 16 pessoas, entre elas quatro missionárias: as irmãs Anselma, Judite, Margherita e Reginette. Duas delas eram de Ruanda, uma do Quênia e a outra da Índia.

Apesar da violência sofrida, as Missionárias da Caridade anunciaram que não iriam abandonar o Iêmen.

Dom Paul Hinder, vigário apostólico para o Sul da Península Arábica, testemunhou a respeito:

“As Missionárias da Caridade morreram como mártires da caridade: como mártires porque foram testemunhas de Cristo e compartilharam a sorte de Jesus na Cruz”.

Ele também revelou que, pouco antes do martírio, as religiosas tinham rezado esta oração:

“Senhor, ensinai-me a ser generosa.
Ensinai-me a servir-Vos como Vós mereceis;
a ofertar sem calcular o custo;
a lutar sem reparar nas feridas;
a trabalhar sem procurar descanso;
a trabalhar sem pedir recompensa.
Amém”.

Oremos também pelo martirizado povo do Iêmen, suplicando que Deus lhe conceda com urgência o presente da paz.

Boletim
Receba Aleteia todo dia