Aleteia
Quarta-feira 21 Outubro |
São Bertoldo de Parma
Atualidade

ACN alerta o mundo para a discriminação religiosa

Steve Rhodes CC

Ajuda à Igreja que Sofre - publicado em 23/11/18

Novo relatório sobre liberdade religiosa no mundo, lançado nesta quinta-feira, simboliza o início da campanha “Dias Vermelhos”

Nessa quinta-feira, dia 22 de novembro, a fundação pontifícia ACN (Ajuda à Igreja que Sofre) publicou a nova edição (14ª) do relatório “Liberdade Religiosa no Mundo”.

A apresentação do relatório é acompanhada por uma série de campanhas, reuniões de oração e conferências em todo o mundo, programadas no período entre 22 de novembro a 4 de dezembro, com destaque para a ação simbólica de iluminar em vermelho uma série de edifícios públicos icónicos para chamar a atenção para a situação das pessoas que sofrem perseguição religiosa.

“Como uma organização comprometida em ajudar os cristãos perseguidos, a ACN tem um dever particular de defender o direito humano básico de liberdade religiosa”, explicou o Dr. Thomas Heine-Geldern, presidente executivo da fundação. “Infelizmente, as violações deste direito humano básico, que afeta todas as religiões, são ainda maiores na atualidade. Estamos, portanto, convidando pessoas em todo o mundo para se levantar junto com a ACN em defesa da liberdade religiosa e fazer um gesto visível de solidariedade”, diz.

Relatório analisa a situação em mais de 190 países

O 14º relatório da ACN sobre a Liberdade Religiosa no Mundo examina a situação em 196 países e documenta não apenas a situação legal atual, mas também os abusos contra o direito à liberdade religiosa durante o período de 2016 a 2018; e também detalha a evolução e mudanças na situação em um certo número de países mais criticamente ameaçados. Em 22 de novembro, o relatório sobre a Liberdade Religiosa no Mundo será apresentado à mídia mundial no Vaticano e em outras capitais, incluindo Madri, Paris, Lisboa, Londres, Manila, Santiago do Chile e São Paulo. O lançamento em São Paulo será realizado na presença do Cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer; da representante das religiões de matriz africana no comitê gestor da secretaria de Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo, a Iyalorixá Carmen de Oxum; e do Doutor em Ciências Sociais e integrante do Departamento de Teologia e Ciências da Religião da PUC-SP, o Professor Edin Sued Abumanssur.

CampanhaDias Vermelhos” acontecerá em diversas cidades do mundo todo.

A ideia de iluminar edifícios emblemáticos em vermelho foi iniciada pela ACN-Brasil em 2015, no Cristo Redentor – Rio de Janeiro, como uma forma de criar um sinal marcante e visível para protestar contra a discriminação religiosa. Desde então, a ação se estabeleceu em muitos lugares. Para o lançamento do relatório, a ACN-Itália planejou uma campanha com início nesta terça-feira, 20 de novembro, para chamar a atenção para a situação de cristãos perseguidos. Em Veneza, a Ponte Rialto e partes do Grande Canal e outros edifícios importantes serão iluminados em vermelho. O mesmo ocorrerá em outras cidades: Paris (22 de novembro), Barcelona (23 de novembro), Londres, Sydney e Washington (28 de novembro). Uma dimensão especial terá a ação nas Filipinas: 1.300 igrejas e 30 escolas seguirão o chamado para a liberdade religiosa e serão iluminados em vermelho.

Para ler o relatório completo, acesse: www.acn.org.br/relatorio-liberdade-religiosa

Sobre a ACN (Ajuda à Igreja que Sofre)

A ACN (Ajuda à Igreja que Sofre) é uma instituição de caridade católica que auxilia a Igreja por meio de informações, orações e projetos de ajuda a pessoas ou grupos que sofrem perseguição e opressão religiosa e social ou que estejam em necessidade. Fundada no dia de Natal de 1947, a ACN tornou-se uma Fundação Pontifícia da Igreja em 2011. Todos os anos, a instituição atende mais de 5.000 pedidos de ajuda de bispos e superiores religiosos em cerca de 140 países, incluindo: formação de seminaristas, impressão de Bíblias e literatura religiosa, incluindo a Bíblia da Criança do ACN, da qual mais de 51 milhões de exemplares já foram impressas em mais de 180 línguas; apoia padres e religiosos em situações difíceis; construção e restauração de igrejas e outras instalações; programas religiosos de radiodifusão; e ajuda aos refugiados de conflitos e vítimas de desastres naturais.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Cristãosliberdade religiosaPerseguição
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
violência contra padres no Brasil
Francisco Vêneto
Outubro de cruz para padres no Brasil: um per...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Pe. Gilmar
Reportagem local
Padre é encontrado após três dias desaparecid...
CHILE
Reportagem local
Duas igrejas são incendiadas durante protesto...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia