Aleteia
Quarta-feira 21 Outubro |
São Bertoldo de Parma
Atualidade

Nacionalismo agressivo está alimentando o ódio religioso

Jeffrey Bruno

Ajuda à Igreja que Sofre - publicado em 23/11/18

Relatório sobre liberdade religiosa no mundo aponta que o Ocidente não está fazendo o suficiente para enfrentar nova crise de nacionalismo opressivo

Uma onda de nacionalismo agressivo em partes importantes do mundo é responsável pelo aumento da violência e outras intimidações contra minorias religiosas – e o Ocidente não está conseguindo transformar palavras de preocupação em ação, de acordo com o relatório “Liberdade Religiosa no Mundo – 2018”, realizado pela fundação pontifícia ACN (Ajuda à Igreja que Sofre). O estudo avaliou 196 países e conclui que o “ultranacionalismo” por parte de atores governamentais e não-estatais causou um aumento no ódio contra as minorias religiosas em potências regionais como Índia, China e Birmânia (Myanmar).

“Liberdade Religiosa no Mundo – 2018” sublinha o crescimento tanto da “islamofobia” como do antissemitismo no Ocidente. O editor-chefe do relatório, John Pontifex, resume as principais conclusões: “o ultranacionalismo agressivo – seja por governos linha-dura ou grupos extremistas violentos – significa que muitos grupos religiosos minoritários se sentem como estrangeiros em seu próprio país. Eles são alvos fáceis em uma nova era de ignorância e intolerância. É verdade que há alguns como os muçulmanos Rohingya, cuja situação recebeu a devida atenção no Ocidente, mas muitos outros – como os cristãos na Nigéria, os Ahmadis no Paquistão e os Bahá’ís no Irã – se sentem abandonados pelo Ocidente onde a liberdade religiosa caiu nos rankings prioritários de direitos humanos”, diz.

Editado a cada dois anos, o relatório aponta que o analfabetismo religioso, inclusive na mídia, e a falta de ação política no Ocidente exacerbou o problema, concluindo que muitos grupos minoritários religiosos sofrem por trás de uma “cortina de indiferença”.

“Liberdade Religiosa no Mundo – 2018” demonstra que a maioria dos governos ocidentais não conseguiu fornecer assistência necessária aos grupos religiosos minoritários, que pediram – eles mesmos – para permitir seu retorno ao norte do Iraque e em outros lugares, após a derrubada do grupo extremista Estado Islâmico (EI) e de outros grupos militantes.

A investigação da ACN descobre que a cobertura da mídia sobre o Islã militante se concentrou quase exclusivamente na luta contra o EI e grupos afiliados durante o período sob análise: de julho de 2016 a junho de 2018, e ignorou em grande parte a implacável expansão dos movimentos militantes islâmicos em partes da África, do Oriente Médio e Ásia.

De acordo com o relatório, um dos principais responsáveis pelo crescimento do extremismo é o crescente choque entre sunitas e xiitas, os principais ramos rivais do Islã.

No período de 25 meses, a situação dos grupos religiosos minoritários deteriorou-se em quase metade dos países classificados como tendo violações significativas da liberdade religiosa – 18 de um total de 38 países.

O agravamento da intolerância em relação às minorias religiosas significou que, pela primeira vez na história de 19 anos do relatório, dois novos países: Rússia e Quirguistão – foram colocados na categoria “discriminação”.

O relatório acrescenta que, em vários casos, como na Arábia Saudita e na Coréia do Norte, a situação já era tão ruim que, no período em análise, era virtualmente impossível que piorasse.

De volta ao Ocidente, o levantamento destaca um surto de ataques extremistas de militantes contra alvos no Ocidente. Tal terrorismo atingindo o coração das democracias liberais significa que a ameaça pode ser chamada de “terrorismo de vizinhança”, e o perigo de tais terroristas é “universal, iminente e sempre presente”.

Para ler o relatório completo, acesse: www.acn.org.br/relatorio-liberdade-religiosa

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Cristãosliberdade religiosaPerseguição
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
violência contra padres no Brasil
Francisco Vêneto
Outubro de cruz para padres no Brasil: um per...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Pe. Gilmar
Reportagem local
Padre é encontrado após três dias desaparecid...
CHILE
Reportagem local
Duas igrejas são incendiadas durante protesto...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia