Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Aos 110 anos, morre freira que salvava judeus na II Guerra Mundial

Irmã Cecylia Maria Roszak
Compartilhar

Uma das religiosas mais idosas do mundo, ela era frequentemente comparada com a Santa Madre Teresa de Calcutá por seu coração misericordioso

A arquidiocese polonesa de Cracóvia, da qual São João Paulo II tinha sido arcebispo antes de ser eleito Papa, informou oficialmente o falecimento da irmã Cecylia Maria Roszak, de 110 anos de idade, ocorrido no último dia 16 de novembro.

Uma das religiosas mais idosas do mundo, a irmã morava havia nada menos que 90 anos no convento das Irmãs Dominicanas de Gródek, na mesma cidade de Cracóvia.

Durante a II Guerra Mundial, a freira esteve em Vilnius, capital da Lituânia, ajudando a salvar judeus perseguidos pelo regime nazista – em especial, protegendo as crianças. Pessoas que conheceram a religiosa pessoalmente gravaram depoimentos para a Reuters TV confirmando que a irmã Cecylia cuidava como mãe dos pequenos, ocupando-se não apenas em dar-lhes abrigo, alimentação e roupas, mas também em lhes proporcionar instrução escolar e formação espiritual.

Devido ao seu coração misericordioso, a religiosa nascida em 25 de março de 1908, em Wielkopolska, era frequentemente comparada com a Santa Madre Teresa de Calcutá.

A irmã Cecylia foi sepultada no cemitério Rakowicki, em Crácovia.

_______

Com informações do Vatican News