Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Outubro |
São Colmano
home iconAtualidade
line break icon

GM anuncia fechamento de fábricas e 'decepciona' Trump

Factory_Easy | Shutterstock

Agências de Notícias - publicado em 27/11/18

A empresa revelou um plano de reestruturação que inclui a eliminação de 15% de sua força de trabalho

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que se orgulha dos seus esforços para impulsionar o setor industrial, declarou estar “decepcionado” com o corte de milhares de postos de trabalho na General Motors, anunciado pela gigante automotiva nesta segunda-feira (26).

Trump disse que falou com Mary Barra, diretora executiva da primeira montadora de automóveis dos Estados Unidos. “Disse a ela que estava decepcionado”, contou. E assegurou: “Estamos fazendo muita pressão sobre eles”.

A empresa revelou um plano de reestruturação que inclui a eliminação de 15% de sua força de trabalho e o fechamento de sete fábricas, com o que espera economizar seis bilhões de dólares até o final de 2020.

O anúncio cai como um balde de água fria na administração Trump, que se gaba de fortalecer a base industrial do país e de proteger os empregos nos EUA.

Neste sentido, Trump renegociou o acordo de livre comércio com Canadá e México (Nafta) especificamente para favorecer o setor automobilístico americano e defender a indústria local diante da guerra comercial com a China.

Trump considera que a General Motors está em dívida com o país após ter sido socorrida com dinheiro público durante a crise financeira de 2008.

“Vocês sabem, os Estados Unidos salvaram a General Motors e não é bom que (a diretora executiva Mary Barra) ela tire esta companhia de Ohio”, disse Trump sobre uma das unidades que serão fechadas.

– Fechando fábricas –

A General Motors anunciou que cortará 15% de sua força de trabalho – cerca de 180 mil funcionários – como parte de uma grande reestruturação para economizar US$ 6 bilhões, e a fim de se adaptar às “mudanças nas condições de mercado”.

O plano inclui o fechamento de três fábricas de montagem na América do Norte em 2019, além da interrupção de atividades em outras plantas de produção, com o objetivo de “priorizar investimentos futuros” para sua próxima geração de veículos elétricos.

“As ações que estamos adotando hoje prosseguem com nossa transformação para uma empresa mais ágil, resilente e rentável, ao tempo que nos dá mais flexibilidade para futuros investimentos”, declarou Mary Barra.

“Reconhecemos a necessidade de nos antecipar às condições instáveis do mercado e às preferências dos clientes para posicionar a nossa empresa para o sucesso a longo prazo”.

A GM destacou que à medida que otimiza a atual oferta de veículos “espera que mais de 75% de seu volume de vendas globais venha de cinco plataformas de veículos do princípio da próxima década”.

Assim, a GM busca concentrar sua produção nos veículos mais rentáveis, como caminhonetes e SUVs.

Em uma teleconferência com investidores, Barra disse que alguns modelos, como o Chevrolet Cruze, deixarão de ser comercializados na América do Norte.

O plano terá um impacto negativo sobre o desempenho financeiro do grupo no último trimestre de 2018 e no primeiro trimestre de 2019 de entre 3 e 3,8 bilhões de dólares.

As demissões atingirão 25% dos funcionários em cargos executivos, para “agilizar a tomada de decisões” no grupo.

A unidade canadense que será fechada se encontra em Oshawa, e emprega atualmente cerca de 3 mil trabalhadores.

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, se mostrou “profundamente decepcionado” com a decisão do grupo. “Os trabalhadores da GM têm sido parte do coração e da alma de Oshawa por gerações e faremos o que for possível para ajudar as famílias afetadas por esta notícia para que voltem a se erguer”.

As ações da GM subiram mais de 6% em Wall Street após o anúncio e fecharam em alta de 4,8%.

As reestruturação segue um movimento similar ao adotado pela Ford para reduzir o número de modelos que fabrica.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia