Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 20 Setembro |
home iconAtualidade
line break icon

Você acredita no feminismo esquerdista?

WOMAN GREECE

Alexandros Michailidis I Shutterstock

Vanderlei de Lima - publicado em 27/11/18

Os legítimos valores femininos hão de ser defendidos, de modo convicto e ardoroso

Ao tomarmos um simples Dicionário de nossa língua materna, lemos: feminismo é “uma doutrina que tem por objetivo o melhoramento do papel da mulher na sociedade” (Dicionário Completo da Língua Portuguesa. São Paulo: Publifolha, 2000). A definição é correta, mas deficiente, conforme veremos neste artigo.

É correta pois, realmente, os legítimos valores femininos hão de ser defendidos, de modo convicto e ardoroso. Basta ler Adignidade da mulher (1988) e Carta às mulheres (1995), de São João Paulo II, disponíveis no site do Vaticano, bem como o livro Por um novo feminismo, da Dra. Sueli Caramello Uliano, Editora Quadrante.

Bem outra, porém, é a ideologia subversiva feminista – contrária a Deus e à sua Lei natural moral – do século XX. Esta, em síntese, teve como grande propagadora Simone de Beauvoir (1909-1986) por meio de seu livro O segundo sexo. Para compor essa obra, “Beauvoir baseou-se no princípio da luta de classes, arma que Marx inventou contra a ‘opressão’ dos ricos sobre os pobres, e estendeu o conceito à ‘opressão’ do homem sobre a mulher”, assegura Paulo Henrique Américo de Araújo na revista Catolicismo n. 813, setembro de 2018, p. 19. Aqui já se vê a origem marxista e esquerdista – portanto parcial e mentirosa – desse tipo pernicioso de feminismo.

Sim, a moral marxista é parcial e relativista, pois sua base é apenas o que interessa ao Partido, de modo que nela “os fins justificam os meios”. Expliquemos: na moral católica, os fins (pagar dívidas) não justificam os meios (roubar), mas no marxismo e nos partidos ou nas ideologias que o seguem, sim; daí, ser plenamente aceitável roubar, matar e, em especial, mentir para tomar o poder, nele permanecer ou a ele retornar. “O mundo marxista é o reino das meias-verdades que se transformam em dogmas. Dogmas que os cidadãos hão de crer hoje e que amanhã serão renegados” (Dom Estêvão Bettencourt, OSB. Curso de Doutrina Social da Igreja. Rio de Janeiro: Mater Ecclesiae, 1992, p. 172).

O que afirmamos já explica a incoerência evidente de certas correntes feministas que – mesmo caindo no descrédito da opinião pública – só enaltecem mulheres que interessam à sua causa revolucionária, mas menosprezam verdadeiras heroínas de ontem e de hoje. Fiquemos com três exemplos recentes.

O primeiro é o de Katia Sastre, policial militar. À paisana, por estar de folga, reagiu a um assalto e eliminou um homem que, em 12 de maio deste ano, de arma em punho, aterrorizava mulheres e crianças, após festa escolar, visando roubá-las, feri-las ou até mesmo assassiná-las. Não mereceu o mínimo apoio feminista. Ela é policial militar que, na distorcida visão esquerdista, talvez represente a “opressão” elitista, e não a ordem. Também agiu – ainda que indiretamente – segundo um princípio da Lei natural moral adotado, é óbvio, pela Igreja Católica a permitir (e até a exigir a quem de direito) defender a própria vida e a de outros, inclusive eliminando, se preciso for, o homicida em potencial, de acordo com o Catecismo da Igreja Católica n. 2263-2266. O povo, voltando as costas ao feminismo radical, elegeu Katia Sastre deputada estadual com 264.013 votos.

O segundo é o de Asia Bibi, uma mulher, esposa, mãe de cinco filhos e cristã paquistanesa, condenada à morte por “blasfêmia”, segundo a lei islâmica. Estava desde 2009 na macabra expectativa da morte. Foi, agora, libertada, mas até o momento em que escrevemos, corre risco de vida. Nenhuma palavra de movimentos feministas. Não é para menos. Asia Bibi é ícone vivo do testemunho cristão frente ao relativismo comunista, à fidelidade matrimonial, à maternidade, qualidades tão combatidas pelo feminismo marxista e esquerdista. Ela, pelo simples fato de existir, é uma opositora da revolução contra a vida indefesa, a família, a religião etc.

O terceiro é Janaina Paschoal. Foi a deputada estadual mais votada da história com 2,06 milhões de votos. Não mereceu fortes elogios feministas. Afinal, ela não é só renomada profissional do Direito, mas também mulher direita e direitista que, por sinal, muito estorva parte da esquerda perdida na própria arapuca ilógica e impopular que criou.

Depois de todas essas parcialidades ideológicas esquerdistas evidentes, você, leitor(a), ainda acredita nesse feminismo revolucionário? – Nós não!

Tags:
feminismoFilosofiaMulher

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
BEATRIZ
Reportagem local
Mistério do sumiço de uma mulher em Aparecida já dura 9 anos
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Berthe and Marcel
Lauriane Vofo Kana
O segredo do casal que tem a união mais longa da França
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa reafirma: casamento sacramental é só entre homem e mulher
6
Exorcista padre Gabriele Amorth
Gelsomino Del Guercio
Os assombrosos diálogos entre o diabo e um exorcista do Vaticano
7
Aleteia Brasil
O dia em que os cães farejadores detectaram Alguém vivo no Sacrár...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia