Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
María Álvarez de las Asturias
Como ajudar um casal que se separou?
Padre Reginaldo Manzotti
Oração para pedir luz ao Senhor
Padre Reginaldo Manzotti
5 lições de vida para ser feliz
Prosa e Poesia
Os recomeços
Vatican News / Redação da Aleteia
Papa aos juízes: não buscar interesse pessoal

Segurança Interna dos EUA quer prorrogar missão militar na fronteira com México

BORDER
Shutterstock-Michael V
Compartilhar

Além de militares da ativa, cerca de 2.100 reservistas da Guarda Nacional estão na fronteira há meses

O departamento de Segurança Interna (DHS) dos Estados Unidos pediu nesta sexta-feira a manutenção dos militares estacionados na fronteira com o México além de 15 de dezembro, prazo fixado para o fim da missão.

Atualmente, cerca de 5.600 homens estão estacionados ao longo da fronteira entre México e Estados Unidos para auxiliar os guardas.

Esta mobilização foi anunciada pelo presidente americano, Donald Trump, antes das eleições de meio de mandato, em 6 de novembro, com o objetivo de deter a caravana de migrantes que partiu de San Pedro Sula, em Honduras, no dia 13 de outubro.

Esta missão deveria terminar em meados de dezembro, mas o DHS pediu ao Pentágono sua prorrogação até o dia 31, diante da “contínua ameaça” que persiste na fronteira sul, informou o porta-voz do departamento, Katie Waldman.

O departamento de Defesa revelou que analisa o pedido.

Além de militares da ativa, cerca de 2.100 reservistas da Guarda Nacional estão na fronteira há meses.

Nesta sexta-feira, membros da patrulha de fronteira simularam uma operação diante da barreira no trecho da mexicana Ciudad Juárez, no estado de Chihuahua.

Dezenas de agentes, montados ou a pé, utilizaram bombas de fumaça e pistolas com balas de borracha durante a simulação de repressão à entrada de imigrantes ilegais.

“Retirem-se, somos elementos da patrulha de fronteira dos Estados Unidos e serão detidos. Vamos disparar, afastem-se da barreira. Esta é uma ordem de evacuação. Se não obedecerem serão detidos”, alertaram os agentes americanos no início da simulação.

(AFP)

Aleteia Top 10
  1. Lidos