Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Segurança Interna dos EUA quer prorrogar missão militar na fronteira com México

BORDER
Shutterstock-Michael V
Compartilhar

Além de militares da ativa, cerca de 2.100 reservistas da Guarda Nacional estão na fronteira há meses

O departamento de Segurança Interna (DHS) dos Estados Unidos pediu nesta sexta-feira a manutenção dos militares estacionados na fronteira com o México além de 15 de dezembro, prazo fixado para o fim da missão.

Atualmente, cerca de 5.600 homens estão estacionados ao longo da fronteira entre México e Estados Unidos para auxiliar os guardas.

Esta mobilização foi anunciada pelo presidente americano, Donald Trump, antes das eleições de meio de mandato, em 6 de novembro, com o objetivo de deter a caravana de migrantes que partiu de San Pedro Sula, em Honduras, no dia 13 de outubro.

Esta missão deveria terminar em meados de dezembro, mas o DHS pediu ao Pentágono sua prorrogação até o dia 31, diante da “contínua ameaça” que persiste na fronteira sul, informou o porta-voz do departamento, Katie Waldman.

O departamento de Defesa revelou que analisa o pedido.

Além de militares da ativa, cerca de 2.100 reservistas da Guarda Nacional estão na fronteira há meses.

Nesta sexta-feira, membros da patrulha de fronteira simularam uma operação diante da barreira no trecho da mexicana Ciudad Juárez, no estado de Chihuahua.

Dezenas de agentes, montados ou a pé, utilizaram bombas de fumaça e pistolas com balas de borracha durante a simulação de repressão à entrada de imigrantes ilegais.

“Retirem-se, somos elementos da patrulha de fronteira dos Estados Unidos e serão detidos. Vamos disparar, afastem-se da barreira. Esta é uma ordem de evacuação. Se não obedecerem serão detidos”, alertaram os agentes americanos no início da simulação.

(AFP)