Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Redação da Aleteia / ACI Digital
Como surgem as intenções de oração do Papa?
María Álvarez de las Asturias
Como ajudar um casal que se separou?
Padre Reginaldo Manzotti
Oração para pedir luz ao Senhor
Padre Reginaldo Manzotti
5 lições de vida para ser feliz
Prosa e Poesia
Os recomeços
Vatican News / Redação da Aleteia
Papa aos juízes: não buscar interesse pessoal

A basílica que tem o maior número de relíquias (depois do Vaticano)

Vue de la nef de la basilique Saint-Sernin de Toulouse © Basilique Saint-Sernin
Compartilhar

Descubra a Basílica de São Saturnino, na França

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

As origens da Basílica de São Saturnino (ou São Sernin) remontam ao século III, época do martírio de São Saturnino, o primeiro bispo de Toulouse, na França. 

Depois de se negar a fazer sacrifícios aos deuses pagãos, Saturnino foi atado pelos pés a um touro. O corpo dele foi arrastado pelo animal e ficou destroçado. 

No século seguinte, o bispo Hilário mandou construir uma basílica de madeira sobre a tumba de Saturnino. O local se tornou centro de devoção e foi construída uma basílica martyrium. 

Neste local, no século XI foi construída a basílica atual, de cimento em estilo românico. São Saturnino foi, desde então, um lugar de parada imprescindível na peregrinação até Santiago de Compostela. 

A construção levou dois séculos. Com seus grandes corredores, numerosos pórticos e resplandecentes capelas, a basílica pode receber uma multidão de peregrinos e permite que eles acessem com tranquilidade as relíquias expostas. 

O culto às relíquias 

A origem da basílica está diretamente relacionada ao culto das relíquias de São Saturnino. A vocação do edifício como um local de peregrinação foi reforçada com o tempo, e o monumento ganhou várias outras relíquias. 

As relíquias da Vera Cruz, por exemplo, convidam os fiéis a lembrarem os acontecimentos da Semana Santa, enquanto as relíquias dos santos nos recordam que seus corpos foram Templos do Espírito. 

Nos cofres-relicários da basílica repousam os restos mortais de São Lourenço, São Bonifácio, Santo Antônio Abade e Vicente Diácono. 

Além disso, desde o século XIII, o local também preserva um espinho da Santa Coroa.

Lá também estão mais de 200 fragmentos de ossos de santos e um pedaço da Vera Cruz, que acompanham os restos mortais de Santa Bernadette e Santa Teresinha do Menino Jesus. 

Depois da Basílica de São Pedro, em Roma, a catedral de Toulouse abriga o maior número de relíquias. 

Tags:
franca
Aleteia Top 10
  1. Lidos