Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Papa Francisco: 3 passos para pacificar o mundo

POPE FRANCIS
Antoine Mekary | ALETEIA | I.MEDIA
Compartilhar

Não há como pacificar o mundo sem pacificarmos antes a nossa alma e a nossa casa

Em sua homilia do último dia 4 de dezembro, o Papa Francisco enfatizou a busca da paz em três âmbitos: em nossa própria alma, na família e no mundo. Os três âmbitos estão intrinsecamente conectados.

Partindo das belas palavras de Isaías, o Papa recordou a promessa de como serão os tempos quando vier o Senhor: “o Senhor fará a paz”; “o lobo e o cordeiro viverão juntos”; “o leopardo se deitará ao lado do cabrito”; “uma criança os guiará”…

É Jesus quem nos dá uma paz capaz de transformar a vida e a história: por isso Ele é o “Príncipe da Paz”.

1 – Pacificar a alma

O Advento é “um tempo para nos prepararmos para esta vinda do Príncipe da paz. É um tempo para nos pacificarmos”. Muitas vezes, “nós não estamos em paz, mas ansiosos, angustiados, sem esperança“. E a pergunta que o Senhor nos faz é: “Como está a sua alma hoje? Está em paz?”. Se não estiver, peçamos ao Príncipe da paz que a pacifique e a prepare para o encontro com Ele. Nós “estamos acostumados a olhar para a alma dos outros”, mas Francisco lança o convite: “Olhe para a sua própria alma”.

2 – Pacificar a família

Se pacificarmos a alma, é mais fácil “pacificar a casa”. “Existem muitas tristezas nas famílias, muitas lutas, tantas pequenas guerras, desunião”, disse Francisco, convidando-nos a indagar se a nossa família está em paz ou em guerra, se um está contra o outro, se há desunião, se existem pontes “ou muros que nos separam”.

3 – Pacificar é o mundo

Em nosso mundo “há mais guerra do que paz”, “há tanta guerra, tanta desunião, tanto ódio, tanta exploração. Não há paz”. E isso tem relação com a falta de paz em nossa alma e em nossa casa. O Papa nos pergunta: o que estou fazendo para ajudar a pacificar o mundo?

“O que faço para ajudar a paz no bairro, na escola, no local de trabalho? Dou sempre qualquer desculpa para entrar em guerra, para odiar, para falar mal dos outros? Isso é fazer a guerra! Sou manso? Procuro construir pontes? Não condeno? Vamos perguntar para as crianças: o que você faz na escola? Quando há um colega de quem você não gosta, você faz bullying ou faz a paz? Procura fazer as pazes? Perdoar tudo?”.

Que este tempo de Advento, de preparação para a vinda do Príncipe da paz, seja um tempo de pacificação da alma e da família para assim ajudarmos a pacificar o mundo.

______________

A partir de Vatican News