Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Por favor, não se case sem antes curar suas feridas

EYE,WOMAN,STILL
Compartilhar

É importante curar as feridas emocionais antes do matrimônio

Santo Agostinho dizia que, quando um homem descobre suas falhas, Deus as cobre; quando as esconde, Deus as descobre; quando as reconhece, Deus as esquece. E eu acrescentaria que, além de esquecê-las, Ele as cura, de maneira incrível!

Penso que eu teria evitado muitas dores de cabeça e tenho certeza de que nunca teria me divorciado se, durante minha juventude e antes de me casar, alguém tivesse me falado das feridas emocionais e ensinado como curá-las. Mais ainda, não só a mim, mas à maioria dos casais.

Hoje existe uma grande crise de amor entre os casais e acho que não se deve tanto à falta de amor, e sim ao fato de chegarem ao altar com uma afetividade muito ferida.

Em outras palavras, ambos tinham uma vontade enorme de se amar, mas também carregavam uma quantidade grande de feridas – e talvez não tivessem nem ideia disso.

Quando um coração está ferido, ele ama da única forma que sabe fazer isso, e geralmente não é a mais saudável ou adequada, e acaba prejudicando a quem mais se ama.

Não se conforme com o curso de noivos, vá além!

Um casamento saudável começa por um namoro forte. E homem e mulher chegam ao namoro com uma história carregada de feridas; é preciso reconhecê-las, curá-las, para depois poder amar plenamente.

A fase de solteiro(a) é ótima para curar-se interiormente. Reconhecer, aceitar e curar as feridas emocionais antes de formar um compromisso para a vida toda é um dos atos mais inteligentes e corajosos que uma pessoa pode fazer.

Como reconhecer minhas feridas?

Há muitos sinais que lhe farão descobri-las:

– Medos excessivos (por exemplo, do abandono)
– Falta de compromisso
– Necessidade de controlar
– Ciúme irracional e insegurança
– Baixa autoestima ou autoestima frágil
– Ira, ansiedade, depressão
– Raiva de Deus
– Falta de alegria, paz, fecundidade e resiliência
– Propensão à agressão física, verbal ou emocional
– Adições: pornografia, substâncias químicas, álcool, jogos etc.
– Tendência à infidelidade
– Dificuldade de manter um namoro casto e puro

Outro ponto importante é que, quando estamos feridos, costumamos escolher um(a) parceiro(a) que supra nossas carências. A pessoa busca fora o que não tem dentro. Buscamos curar as feridas por meio do outro, e isso é um grave erro.

A única pessoa responsável por curar as suas feridas é você mesmo(a), por meio de um trabalho pessoal profundo e integral, do qual Deus participa. Se necessário, busque ajuda psicológica para isso também.

Toda ferida que não é reconhecida, aceita e curada se torna autodestrutiva.

Por que é importante curar-nos antes de nos casarmos? Porque, se não o fazemos, as carregaremos até o casamento e essas feridas possivelmente nos levarão a agir de maneira incorreta, ao cair na infidelidade, nas agressões etc.

A decisão de se casar é incrível, mas antes faça um favor a si mesmo(a): cure-se.