Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

A última frase da Santa Madre Teresa de Calcutá antes de partir desta vida

© DR
Compartilhar

A Missionária da Caridade se despediu deste mundo explicitando o seu verdadeiro amor - e não se queixando, como alguns meios noticiaram

Dezenas – ou centenas – de frases são falsamente atribuídas à Santa Madre Teresa de Calcutá.

Atribuições indevidas

Algumas são até verossímeis, mas nunca foram documentadas como sendo mesmo dela, como “Viva simplesmente, para que outras pessoas possam simplesmente viver“.

Outras têm autoria comprovadamente diversa, como “Eu descobri o paradoxo de que se você ama até doer, não pode haver mais dor, só mais amor”, dita na verdade por Daphne Rae.

Há inclusive frases que a missionária da caridade não disse, mas que foram falsamente atribuídas a ela com o aparente intuito de induzir a interpretações tendenciosas e polêmicas, tais como “Acho muito bom quando as pessoas sofrem, porque, para mim, isso é como o beijo de Jesus“.

Existe até um site, em inglês, que reúne frases que a Madre Teresa nunca disse e que, no entanto, foram atribuídas indevidamente a ela.

Frases verdadeiras

Outras frases, é claro, foram mesmo ditas por ela – e algumas podem ser conferidas no seguinte artigo:

A última frase

Assim como as frases indevidamente atribuídas à Madre Teresa abundaram ao longo da sua vida, não foi diferente sequer no seu leito de morte.

Veículos de imprensa de alcance mundial, como The Washington Post, chegaram a divulgar que a última frase da religiosa, em 5 de setembro de 1997, teria sido um inquietante “Não consigo respirar“.

No entanto, outros veículos globalmente influentes, como The New York Times, noticiaram um cenário mais afim ao contexto de vida de uma religiosa como a Madre Teresa. Ela tinha de fato demonstrado dificuldades para respirar em suas últimas horas, já que vinha perdendo as forças físicas ao longo dos dias que antecederam o seu falecimento. Mas uma freira da congregação fundada por ela, a irmã Brunet, presente no convento no momento da sua partida deste mundo, testemunhou quais foram as palavras derradeiras da mulher que dedicou a vida aos mais pobres dentre os pobres porque via neles o próprio Jesus:

“Jesus, te amo. Jesus, te amo“.

É verdade que não há registros gravados desse momento de despedida para comprovar tal frase: o que há é somente o testemunho de quem estava lá.

Mas tão verdadeiro quanto isso é o fato de que o testemunho da irmã Brunet é perfeitamente plausível. Não surpreende que, nas suas últimas palavras, a Santa Madre Teresa de Calcutá tenha mesmo exaltado a verdadeira causa do seu amor pelos pobres mais pobres deste mundo; uma causa capaz de sustentá-la numa missão tão extraordinária que não poderia ter sido realizada sem que fosse puramente por amor sobrenatural.

Esse amor tinha um nome: Jesus.

Ela mesma o terá afirmado, em vida, numa das suas mais famosas frases autênticas: “Eu sirvo porque amo Jesus“.

Por tudo isso, é mais que provável que, na sua despedida deste mundo, a última frase pronunciada pela Madre Teresa de Calcutá logo antes do seu Encontro Eterno com Deus tenha sido mesmo essa declaração de amor a Ele:

“Jesus, te amo. Jesus, te amo“.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.