Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Como saber se progredimos espiritualmente?

PRAYING
Shutterstock
Compartilhar

Descubra se você está progredindo na espiritualidade, mesmo no tempo da aridez

Nesta aula do curso “Ensina-nos a Orar”, Padre Paulo Ricardo nos explica como saber se progredimos na vida espiritual. Primeiramente, veremos o que é progresso espiritual. Pois, podemos nos enganar achando que progredimos espiritualmente porque sentimos consolações. Ou, às vezes, podemos pensar que retrocedemos na vida espiritual porque vivemos um tempo de aridez.

Descubra como podemos saber se estamos progredimos na espiritualidade, mesmo no tempo da aridez.

Num segundo momento, veremos o que é o amor e como reconhecer se amamos de verdade. Pois, se não sabemos o que é o amor, também não saberemos se estamos progredindo ou não na vida espiritual. Por fim, veremos como reconhecer o nosso progresso espiritual em tempos de aridez, de sofrimento. Dessa forma, saberemos como nos portar diante da consolação e também da desolação.

Consolação é progresso espiritual?

Nós, seres humanos, somos uma mistura, uma forma de um animal viver junto com um anjo: somos corpo e alma. E, muitas vezes, a nossa vida de oração não progride porque ficamos apegados à parte física, à parte animal de nossa vida interior. Não é porque uma coisa está dentro de nós que ela é necessariamente espiritual.

Existem coisas, existem características, que os animais também têm. Por exemplo: quando imaginamos a cena de Jesus no Horto das Oliveiras sofrendo, esta imaginação é importante como método de oração. Mas, devemos saber que os animais também têm imaginação.

Quando sentimos um gosto, quando algo sensível toca a nossa sensibilidade e nós realmente temos uma recompensa, isso é bom. Não estamos demonizando a consolação. Mas, saibamos que, se sentimos alguma coisa, isso é mais ligado ao corpo do que verdadeiramente à alma. Então, Deus quer que nós saiamos desses espaços infantis, que passemos para o andar de cima, para realidades mais elevadas, mais espirituais. E a porta de entrada para o crescimento espiritual, que nenhum animal é capaz, é o amor. Mas, vamos entender direito o que é o amor.

Em que consiste o amor?

Os animais conseguem ser contrariados. Se temos um animal que quer comer e alguém tira a comida dele, ele fica com raiva, porque ele foi contrariado. Apesar de não gostar, os animais aceitam ser contrariados. Mas, os animais não são capazes de se contrariar. Somente nós, que somos humanos, temos alma, temos espírito, conseguimos nos contrariar.

O amor consiste em nos contrariar pelo bem do outro. Por isso, quando vamos rezar, vemos que a nossa vontade, os nossos desejos, os nossos projetos estão sendo contrariados e, mesmo assim, dizemos: “Sim, Senhor, eu quero vos agradar, não é o que os meus projetos queriam, não é o que o meu pensamento colocou como sendo o melhor”. Mas, diante dos fatos, diante das contrariedades, onde não há saída, não tem solução. Por isso, nos conformemos com a vontade de Deus.

Assista ou ouça aula do Padre Paulo Ricardo sobre “Como saber se estou progredindo na oração?”:

As contrariedades da vida e o crescimento no amor

Conformar-nos à vontade de Deus é transformar a dor em amor, é algo que somente uma pessoa que tem alma, tem espírito, pode fazer. Então, seguir o exemplo de Jesus no Horto das Oliveiras, não somente imaginando que Ele sua sangue, mas suar sangue junto com Ele é algo que é próprio da alma. Ali não estamos na fantasia. Já estamos realmente vivendo espiritualmente o que Jesus viveu.

Portanto, para saber se a nossa vida espiritual está progredindo ou se é simplesmente uma ilusão da nossa cabeça, uma fantasia, vejamos o quanto nossas vontades estão dolorosamente se conformando à vontade manifesta de Deus. Diante disso, podemos perguntar assim: “Mas, Padre, como é que eu sei que aquilo é vontade de Deus?” Uma das características é a seguinte: a coisa não tem remédio, ou seja, existem problemas na vida que não têm solução. Se vemos que não tem solução, não tem o que fazer, estamos diante de algo que Deus permitiu, na sua divina Providência.

Lembremos que tudo – até as maiores tragédias – contribui para o bem daqueles que amam a Deus. Se conseguirmos encontrar a vontade amorosa e providente de Deus até nas maiores desgraças, demos um passo espiritual que até mesmo os anjos se admirarão.

Links relacionados:

PADRE PAULO RICARDO. As deploráveis Terceiras Moradas.

PADRE PAULO RICARDO. Caminho de Perfeição.

PADRE PAULO RICARDO. Projeto Terceira Morada.

TODO DE MARIA. Mudar de vida com o Projeto Segunda Morada.

TODO DE MARIA. Padre Paulo Ricardo ensina-nos a orar.

 

(via Todo de Maria / Pe. Paulo Ricardo)

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.