Aleteia
Sexta-feira 23 Outubro |
São Moderano
Atualidade

Universidade Católica de Pernambuco acolhe grupo de venezuelanos

VENEZUELANS

Thiago Dezan FARPA CIDH-(CC BY 2.0)

Agências de Notícias - publicado em 19/12/18

“Queremos criar uma cultura de solidariedade e uma cultura de acolhimento", diz secretário da Cáritas

“Meu filho queria uma bola, uma roupa e eu não podia comprar. A situação foi ficando cada vez pior. Cheguei a pesar apenas 54 quilos porque passei fome”. O relato da vida difícil nos últimos anos é do caminhoneiro Michael Chaves, 38 anos, que vivia na cidade de Guacara junto com a esposa e três filhos de 12, 7 e 5 anos. A família faz parte do grupo de 102 venezuelanos que foi acolhido na tarde desta segunda-feira (17) na Universidade Católica de Pernambuco. “Quero fazer a formação de motorista para voltar a trabalhar”, disse sonhando com dias melhores.

As dificuldades do passado deram lugar a esperança também para a família Zambrano. O operador de máquinas Daniel, 35 anos, trouxe a mulher, Raysel, 33,  e os filhos Heffri (13), Royfrelis (7) e Cláudia (4). Antes da crise econômica da Venezuela, ele trabalhava na construção de represas transportando containers em Puerto Ordaz. Cheguei a ter dois carros, mas tive que vender um. O outro quebrou e eu não tinha mais como consertar nem trocar os pneus”, contou Michael que abandonou o veículo e a casa para tentar vida no Brasil.

Os migrantes desembarcaram na Base Aérea do Recife e foram recebidos no auditório Dom Helder Camara. Homens, mulheres, seis recém-nascidos e 24 crianças de 6 a 10 anos que serão beneficiados pelo Programa Pana. “Essa situação dos migrantes é um apelo para a gente ser aquilo que a gente quer ser: uma Universidade aberta, humanística. A acolhida dos venezuelanos é uma forma de compreender melhor a nossa missão”, disse o Reitor da Unicap, Padre Pedro Rubens, lembrando que o Superior Geral dos Jesuítas, Padre Arturo Sosa, é venezuelano e que a data de hoje tem um simbolismo por ser o aniversário do Papa Francisco (também jesuíta).

“Queremos criar uma cultura de solidariedade e uma cultura de acolhimento. Nós precisamos, de uma certa forma, mudar a mentalidade de não ser uma mentalidade que se fecha e sim uma mentalidade que se abre para receber todas as pessoas”, disse o secretário da Cáritas Regional Nordeste 2, Ângelo Zanré, ao se referir às palavras do Pontífice.

O Programa Pana tem como objetivo ser referência na acolhida, proteção e integração de imigrantes e refugiados no Brasil. O termo Pana vem da língua do povo Warao e significa amigo. Financiado pelo governo dos Estados Unidos, a iniciativa tem como parceiros a Cáritas brasileira e suíça. Foram instaladas Casas de Direito como a da Unicap em seis estados: Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Distrito Federal e Rio Grande do Sul.

Na Casa de Direitos que funciona no 1º andar do bloco E da Católica, o acolhimento será oferecido através de uma equipe formada por quatro profissionais – psicólogo, assistente social, educador e assistente administrativo – que  vão intermediar o acesso dos migrantes e refugiados às politicas públicas e ao sistema de garantia de direitos. Na Católica, o espaço fornecerá também formação em Língua Portuguesa, Cultura Brasileira, Legislação Trabalhista, Economia Solidária, serviços de saúde, atendimento psicológico e jurídico com apoio do Instituto Humanitas Unicap.

Governo do Estado e Prefeitura do Recife vão acompanhar os venezuelanos dando suporte no encaminhamento profissional e matriculando as crianças em idade escolar. O Ministério Público estadual também é parceiro do projeto. No Recife, a Casa de Direitos estará aberta para atender migrantes e refugiados de todas as nacionalidades.

Os venezuelanos serão instalados em doze imóveis alugados pela Cáritas (10 casas e dois apartamentos) nos bairros da Boa Vista, Torreão, Encruzilhada, Santo Amaro e Coelhos. Cada residência recebeu nome de personalidades históricas: Chico Mendes, Irmã Dorothy Stang, Hebert de Sousa, Zilda Arns, Marielle Franco, Dom Helder Camara, Bispo Oscar Romero, Margarida Alves, Frida Kahlo e Dom Luciano Mendes de Almeida.

(Unicap)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Mundosolidariedade
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
nuvens sinais
Reportagem local
Estão sendo fotografados "sinais do céu"?
Extremistas queimam igrejas no Chile
Francisco Vêneto
Por que queimam igrejas: Dom Henrique e Pe. J...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia