Aleteia
Quarta-feira 28 Outubro |
São Sálvio
Religião

O (quase) silêncio de Bento XVI em 2018

AFP

Ary Waldir Ramos Díaz - publicado em 26/12/18

Nas poucas vezes em que quebrou o silêncio, ele o fez para reafirmar sua fidelidade, coerência e discrição

Apesar dos rumores causados pelos inimigos da unidade, o Papa Emérito Bento XVI se manteve fiel à Igreja e ao Papa Francisco. Nas vezes em que quebrou o silêncio, o fez para reafirmar sua fidelidade, coerência e discrição.

Quando o Papa Emérito escreveu – poucas vezes nos últimos anos – foi como se “asas de borboleta – se movessem, causando um terremoto estabilizador além dos muros leoninos. Com suas missivas ou palavras, ele é capaz de curar os nervos frágeis dos inimigos, detratores ou fiéis confusos por sua renúncia.

Pessoas que, de boa ou má fé, transformaram a perplexidade em raiva, a preocupação em neurose e as mudanças em inquietudes – espinhos que não conseguem destruir a rosa. O que se vê são dois papas plenos de afeto, de respeito entre ambos e que tornam mais serena do que se pensa a convivência no Vaticano – algo inédito em seis séculos.

Abaixo, apresentamos algumas dessas palavras, gestos e momento nos quais ficam claras a lucidez e a firmeza de Bento XVI na hora de defender suas decisões:

  • Bento XVI disse compreender a dor causada por sua renúncia. Bento escreveu ao cardeal Brandmüller para responder às declarações feitas pelo purpurado, que criticavam o fim do seu pontificado. Ele disse: “A dor de alguns – me parece – se converteu em uma ira que já não se refere somente à renúncia, mas também se extende cada vez mais à minha pessoa e ao meu pontificado como um todo.”
  • Bento XVI: “É um insensato preconceito dizer que o Papa Francisco não tem particular formação teológica”. A declaração foi dada em uma carta, na qual manifestou a continuidade teológica entre o seu pontificado e o de seu sucessor.
  • Bento XVI a Francisco: “Santidade, a partir deste momento, prometo minha total obediência e minha oração”. No quinto aniversário da renúncia, foi publicado pelo Vatican News o testemunho do Monsenhor Alfred Xuereb, ex-secretário particular de Ratzinger, que contou em detalhes a primeira conversa entre os papas no fim do conclave.

Em datas comemorativas, os dois papas sempre se encontram, como mostram as imagens abaixo:

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Bento XVIfranciscoPapaVaticano
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Pe. Zezinho
Francisco Vêneto
Duas emissoras brasileiras deturpam fatos em ...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia