Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O sino e o reggae

Pe. Gabriel Vila Verde / Facebook
Compartilhar

"Padre, quando o sino tocou a Ave Maria, eles desligaram o som e ficaram escutando"

O pe. Gabriel Vila Verde compartilhou em seu Facebook a seguinte notícia, acompanhada por uma consideração aparentemente singela, mas, no fundo, muito significativa:

O SINO E O REGGAE

Como a maioria já sabe, inauguramos aqui na Paróquia de Acupe a “Torre do Sino”, que toca chamando para as Missas, mas também toca “A treze de Maio” quando o relógio marca 12:00 h (meio dia) e a “Ave Maria” às 18:00.

Pois foi no domingo passado que um grupo de moradores fez uma festa de REGGAE na praça, como de costume. Quem estava por perto, me contou depois: “Padre, quando o sino tocou a Ave Maria, eles desligaram o som e ficaram escutando. Só ligaram novamente quando acabou a oração”.

Ao saber desse episódio, tive a feliz sensação de mais um dever cumprido. O sino era pra isso mesmo, fazer o povo se lembrar de Deus! E digo mais: os instrumentos de evangelização que dão mais certo, são aqueles que a Igreja sempre usou, ou seja, os elementos da tradição. Já as novidades, por melhor que seja a intenção, às vezes atrapalham mais do que ajudam.

Pe. Gabriel Vila Verde, via Facebook

Os sinos não são mantidos à toa pela bimilenar tradição da Igreja. Conheça mais sobre o seu extraordinário significado: