Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Qual é a “língua dos anjos”?

MUSICIAN ANGELS BY HANS MEMLING
Compartilhar

Das várias teorias elaborados para explicar a língua dos anjos, a de São Tomás de Aquino parece ser a mais aceitável

Os anjos falam e manifestam seus pensamentos aos demais? Marcello Stanzione, no livro Pillole di saggezza sugli angeli (edizioni Segno) tenta responder a perunta. 

Antes de tudo, é preciso declarar que, segundo vários testemunhos, os anjos falam, sim!

De São Paulo à Virgem Maria 

São Paulo se refere à “língua dos anjos”. Das Sagradas Escrituras, deduzimos que os anjos falam aos homens sempre quando são enviados como mensageiros de Deus a este mundo. São inúmeros os exemplos: o arcanjo Rafael e Tobias, o Arcanjo Gabriel e São Zacarias, um anjo teria falado a São Pedro, outro à Virgem Maria etc. 

O anúncio de Belém 

Um mensageiro celestial de alegria (um anjo do Senhor) anunciou o nascimento do Salvador do mundo a alguns pastores dos campos ao redor de Belém. 

Naquela ocasião, “uma multidão do exército celestial” cantou pela primeira vez hinos de louvores a Deus, dizendo: “Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens de boa vontade”. 

Vozes humanas e palavras mentais 

A natureza da língua dos anjos continua sendo pouco conhecida. Quando os anjos aparecem aos homens, falam na língua humana, a língua falada pelo destinatário. Também é possível que a comunicação seja feita através das palavras mentais, como a transmissão de ideias e visões mentais. 

“Iluminação”

Os anjos não conversam entre si através da linguagem humana, pois são incorpóreos e imateriais. Qual é, então, a língua deles? Das várias teorias elaborados pelos acadêmicos para explicar a língua dos anjos, a de São Tomás de Aquino parece ser a amais aceitável. 

São Tomás defende que os anjos falam entre si por um simples ato de vontade, abrindo suas mentes e revelando qualquer ideia que queiram transmitir aos demais da mesma natureza. Esta língua, ou conversação, é chamada de “iluminação”. 

A explicação de Dionísio 

Dionísio se refere a esta maneira de falar: “As ordens inferiores dos seres celestiais (ou seja, os anjos) recebem a compreensão das obras divinas por parte dos seres superiores de uma maneira adequada, e os superiores são proporcionalmente iluminados nos Mistérios Divinos pelo mesmo Deus Altíssimo”. 

Esta forma de expressão – a língua dos anjos – pode nos parecer muito fraca e confusa, pois estamos acostumados ao som material e às palavras emitidas pela boca. No entanto, é muito mais forte, clara e perfeita do que qualquer linguagem humana, mesmo quando ela seja usada por homens mais cultos e especializados. 

Transmissão angelical das ideias 

Nossas palavras que saem da boca não são mais do que símbolos das ideias que temos em nossa mente e que tentamos expressar aos demais. Os símbolos e palavras, geralmente, são inadequados para expressar todo o pensamento. Às vezes, nossa forma de comunicar não é compreendida por aquele que ouve. 

Ser capaz de abrir a própria mente e de revelar todos os pensamentos tal como eles são sem o canal do simbolismo, do som e das palavras é a mais alta e melhor forma de expressão. Isso, em resumo, é o intercâmbio de ideias sem palavras – a língua dos anjos. 

Doce melodia 

Com o consentimento de Deus, os anjos podem assumir formas humanas quando aparecem aos homens. Da mesma forma, eles conseguem reproduzir uma voz humana e falar a nossa língua. 

Com o mesmo consentimento divino -e em virtude de seus poderes- os anjos podem reproduzir o que ao ouvido humano parece uma doce melodia ou uma música encantadora. Isso já foi revelado por alguns santos.