Aleteia
Quinta-feira 22 Outubro |
São Moderano
Religião

Cardeal aos cristãos de Nínive: que a dor não se transforme em rancor

Monastery of the Martyrs Mar Behnam and Marth Sarah

© Fraternité en Irak

Vatican News - publicado em 28/12/18

De 2014 aos dias atuais, os cristãos da Planície de Nínive viveram anos de terror e fuga da violência do Estado Islâmico

Concluiu-se, nesta sexta-feira (28/12), na Planície de Nínive, berço dos cristãos às margens do rio Tigre, a visita ao Iraque do secretário de Estado Vaticano, cardeal Pietro Parolin, que teve início na última segunda-feira, 24.

As últimas etapas do purpurado foram as igrejas e mosteiros católicos de Karamless, a procissão e a missa no rito sírio-católico, em Qaraqosh, e a visita às instituições católicas e igrejas em Mossul e Bartalla.

De 2014 aos dias atuais, os cristãos da Planície de Nínive viveram anos de terror e fuga da violência do Estado Islâmico.

“Notícias trágicas das quais ouvimos tanto falar”, disse o cardeal Parolin na homilia da missa celebrada na catedral sírio-católica de Altahera, em Qaraqosh, com Sua Beatitude Ignatius Joseph III Younan, patriarca sírio-católico, e com dom Yohanna Petros Mouche, arcebispo sírio-católico de Mossul, levando aos fiéis a bênção e a oração do Papa. Um “sofrimento que unido ao sacrifício de Cristo, torna-se fonte de paz e salvação para o mundo”, sublinhou.

“No plano de salvação de Deus nada permanecerá sem dar fruto”, reiterou o purpurado, assim como não ficou estéril o testemunho de muitos mártires que desde os primeiros séculos do cristianismo molharam esta terra de sangue.

Recordando os seus nomes e o amor misericordioso do “Deus que se fez carne por nós”, o secretário de Estado Vaticano deixou aos fiéis o convite ao “perdão” e à “esperança que nasce da fé na reconstrução de um mundo novo”. Perdoar, porque “assim faz Deus” e para “vencer o mal com o bem”.

“Perdoar não é algo fácil”, como recorda o Papa Francisco, “aliás, é sempre muito difícil”. Repercorrendo as palavras do Pontífice, o cardeal Parolin sublinhou que é necessário partir da oração para “perdoar os pequenos e os grandes erros”, descobrindo nela a “força purificadora” que liberta das “correntes internas do rancor”.

Disse ainda que é preciso estar ancorado numa “fé vivida plenamente em nome do amor”. “Que a dor e a violência sofridas nunca se transformem em rancor e o jugo do ódio não caia sobre seus ombros. Vocês são chamados a ser artífices de reconciliação e paz, testemunhas do amor e do perdão, fonte de bem e bênção para todos”, disse ele.

O cardeal Parolin evidenciou o exemplo dado pelos cristãos iraquianos ao mundo que tem uma fé “adormecida” e “estabelecida numa cultura mundana”, e disse que é preciso abrir uma brecha de esperança a todos os fiéis iraquianos: “Depois do tempo de provação, a Sagrada Família voltou para Nazaré. Para vocês também inicia o retorno do exílio”, ressaltou.

O retorno das famílias e a reconstrução de muitos edifícios é fonte de esperança, todavia, é preciso “recompor o tecido social dilacerado. Esta é a vocação e missão de vocês”, disse o cardeal Parolin.

A última palavra do purpurado foi de encorajamento aos cristãos iraquianos por uma “missão insubstituível” a ser realizada no Oriente Médio: “Coragem, não tenham medo! Levantem-se com os pés firmes e recomecem sua vida, pois o mal não tem a última palavra sobre o seu destino e seu futuro nesta terra histórica de seus Pais”.

(Vatican News)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Perseguição
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
nuvens sinais
Reportagem local
Estão sendo fotografados "sinais do céu"?
Papa Francisco São José Menino Jesus
ACI Digital
Papa Francisco reza esta oração a São José há...
violência contra padres no Brasil
Francisco Vêneto
Outubro de cruz para padres no Brasil: um per...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia