Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Como a Igreja Católica pode ajudar a salvar o meio ambiente

MOLLY BURHANS
Compartilhar

Molly Burhans, fundadora da GoodLands, quer ajudar a Igreja a usar seus terrenos como veículo para o bem

A primeira coisa que você percebe sobre as fotos antes e depois é o aumento do número de árvores.

Os terrenos da paróquia tinham sido uma vasta extensão de terra, boa parte dela ocupada pela igreja, seus prédios auxiliares e um amplo estacionamento pavimentado. Havia campos que podiam ser usados ​​para praticamente qualquer coisa – piqueniques da paróquia, estacionamento extra ou jogos de bola improvisados ​​por crianças da vizinhança. Também poderia ser vendido se a paróquia ou a diocese precisasse de algum dinheiro extra. E quem não precisa disso hoje em dia?

Mas, no geral, a aparência do lugar não era muito convidativa.

Depois que GoodLands, de Molly Burhans, propôs a reforma, a igreja não era mais um edifício de aparência solitária. Agora está acompanhada por uma série de recursos criativos:

  • Um campo de esportes, incentivando atividades físicas e promovendo o envolvimento da comunidade.
  • Um playground e um jardim educativo, destinados a servir como extensões das salas de aula da escola paroquial.
  • Um jardim contemplativo, proporcionando espaço ao ar livre para a reflexão espiritual.
  • Um gramado de eventos, proporcionando espaço para os paroquianos se reunirem ou celebrarem ocasiões especiais.
  • Estufas, onde uma parceria local pode crescer, gerando renda extra e fornecendo alimentos para os necessitados.
  • Um telhado verde no hall da igreja, onde a vegetação pode reduzir as necessidades de energia no verão e a perda de calor no inverno em até 26%.
  • Uma horta comunitária, onde paroquianos e vizinhos não católicos podem participar da agricultura local, fornecer alimentos para as necessidades locais e realizar atividades educacionais.

Ao redor do perímetro da propriedade de cinco acres, o reflorestamento ajuda a filtrar os poluentes dos veículos que passam e ajuda a reduzir o escoamento das águas pluviais. Um “corredor de habitat” especial restaura fontes de alimento e habitat para pássaros e insetos migratórios e não-migratórios. As copas das árvores perto da igreja e do salão paroquial reduzem os custos de resfriamento no verão.

E isso é apenas no terreno de uma paróquia. Burhans, uma jovem especialista que tem uma nova visão para o cuidado do terreno da igreja, estima que a área coletiva de terrenos da igreja, escolas, hospitais, cemitérios, mosteiros e outras propriedades que estão sob a Igreja Católica em todo o mundo ultrapassa facilmente a área da França e Espanha.

Quando você olha dessa maneira, há muita coisa que a Igreja pode fazer para ajudar a prevenir os tipos de males que muitos estão prevendo se as preocupações ambientais não forem enfrentadas. A Igreja, diz Burhans, é “uma proprietária de terras com valores fortes e enraizados”. Ela fundou a GoodLands, para ajudar a Igreja a usar seus terrenos como um veículo para o bem.

A jovem de 29 anos tornou-se recentemente a primeira católica dos Estados Unidos a receber uma bolsa da Ashoka. A Ashoka apóia as pessoas e as ideias que “acreditamos ter a melhor chance de resolver os problemas sociais mais prementes de nossa era”, diz a filial norte-americana da fundação.

“Os empreendedores sociais imaginam um novo caminho a seguir e o constroem para todos. Eles respondem aos problemas urgentes da sociedade com alavancagem extraordinária, criatividade e comprometimento, e abrem caminhos para que outros contribuam como agentes de mudança”, um mestrado em ciência e design ecológico.

Com um diploma de bacharelado do Canisius College em Buffalo e um mestrado em ciência e design ecológico da Conway School of Landscape Design em Massachusetts, Burhans se interessou por sistemas de informação geográfica – o tipo de software usado para fazer mapas.

“Esta não é apenas uma imagem estática”, disse ela ao abrir um mapa criado pela GoodLands em sua tela de computador em seu escritório em New Haven, Connecticut. “Por trás disso está uma enorme base de dados contendo cada diocese, cada número de sacerdotes por diocese, católicos por diocese. Há muita tecnologia envolvida. Há também muita estética e comunicação. Vimos que essa é uma abordagem muito melhor para a Igreja. Ajudamos as comunidades a analisar dezenas, centenas de propriedades de uma vez, para descobrir onde elas podem ter impacto”.

Começando seu trabalho antes mesmo do lançamento de 2015 da encíclica do Papa Francisco Laudato Si’ (Sobre o Cuidado da Casa Comum), Burhans descobriu que realmente não havia nenhum indivíduo ou agência ajudando a Igreja a “administrar sua propriedade de maneira alinhada com suas missões e apoiar todos eles” e orientar a conservação da natureza do mundo católico.

“Então, eu fundei a GoodLands originalmente com o tipo de ideia de conservação em mente, para preencher esse grande vazio”, disse ela. Ela descobriu que não havia muito incentivo à conservação, incluindo incentivos fiscais.

“Eu também vi que programas ambientais como jardins, coleta de água da chuva, manejo de águas pluviais de vários tipos, diferentes regimes de manutenção para gramados, coisas simples como essas, estavam sendo feitas principalmente nas propriedades das paróquias ricas, onde as pessoas não precisavam se preocupar com necessidades básicas”, disse ela.

“Eram as paróquias em áreas mais abastadas. A realidade é que, se você não entende o contexto de onde está colocando um programa ambiental, pode desperdiçar uma quantia enorme e pode ter centenas de vezes um impacto maior se colocar o mesmo programa na propriedade certa”.

Assim, a GoodLands começou a analisar grandes quantidades de propriedade para discernir onde colocar programas ambientais, onde os esforços de conservação ou energia solar faziam mais sentido, “onde você pode obter o máximo retorno dela, onde habitação acessível faz sentido, então seria como uma propriedade que não tem um valor de mercado incrivelmente alto”.

Então, como a GoodLands faz o seu trabalho? Uma equipe pesquisará uma propriedade e avaliará como ela está funcionando, incluindo como ela contribui para os ecossistemas locais e para a comunidade.

“Então, construímos um mapa robusto e dinâmico que é essencialmente um poderoso banco de dados que ajuda as dioceses, ordens religiosas e outros proprietários de terra a tomar decisões bem embasadas sobre o uso da terra”, explicou Burhans. “Nossos mapas incorporam atributos da propriedade, prioridades da comunidade e dados comparativos de propriedades católicas semelhantes. A imagem composta nos permite aconselhar sobre o uso da terra”.

A empresa apenas fornece os dados de uma forma que os proprietários de terrenos podem usar para tomar suas próprias decisões. No caso da paróquia que tinha toda aquela terra extra, o reaproveitamento ajudou-a a tornar-se “uma espécie de destino onde as pessoas com as suas famílias passam mais tempo, estão mais ligadas à sua fé, digamos, através do jardim contemplativo etc.”, resumiu Burhans.

A terra é o “ativo financeiro e politicamente mais poderoso da Igreja, e precisamos ser guardiões dela”, disse Burhans. “A maneira como mantemos nossas propriedades realmente influencia a saúde pública, a saúde mental e o desenvolvimento infantil. Quando você não tem um ambiente saudável, isso afeta tudo o que você faz”.

As árvores, por exemplo, podem ajudar a filtrar o ar, reduzir a asma e baixar a pressão sanguínea. “A presença de árvores mostrou diminuir índices de violência”, disse Burhans. “Existe uma ligação entre a forma como a nossa terra é usada e a paz dentro de uma comunidade”.

O que é importante ter em mente é que tudo o que a Igreja faz na terra ocorre dentro de um contexto. “Eu acho que Laudato Si’  fez um trabalho fantástico em realmente captar que o ambiente é essa matriz onde todas essas coisas acontecem”, disse Burhans. “Como pessoa, você pode cuidar da terra e ignorar os pobres doentes e mais vulneráveis. Você não deveria, mas você pode. Mas no momento que você para de cuidar de seu entorno, da nossa casa comum, o meio ambiente, isso imediatamente causa impacto nos pobres, nos doentes e nos mais vulneráveis”. E também causa impacto em você, pois ninguém está isolado.

“A maneira como administramos e usamos nossa terra tem uma dimensão moral”, concluiu ela. “Esse é um dos fundamentos mais importantes da Goodlands, percebendo isso e realmente transformando um senso de propriedade de nossos espaços em um senso de cuidado comum”.

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.