Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O seu cônjuge também é seu melhor amigo(a)?

FUN
Shutterstock
Compartilhar

A intimidade cria um sentimento de felicidade e realização em um relacionamento de longo prazo

Todos os relacionamentos passam por diferentes etapas no processo de amadurecimento. Cada estágio contribui para aumentar a proximidade do casal. Se os cônjuges trabalharem as característica a seguir, também terão sucesso em ser grandes amigos:

Frio na barriga

O início de um relacionamento amoroso é muitas vezes o momento mais emocionante, porque tudo é novo e cheio de paixão. Na onda das emoções intensas, estamos prontos e dispostos a fazer qualquer coisa pelo nosso amado(a). Usamos palavras afetuosas, damos abraços e vamos a encontros e passeios românticos. No começo, não precisamos nos esforçar muito para nos sentir felizes.

O segundo estágio é semelhante; todas essas emoções, embora um pouco menos intensas, ainda são bastante fortes. Mas, eventualmente, chega um momento em que eles desaparecem, e então o relacionamento começa a exigir um pouco mais de trabalho.

Está acabado?

Quando o primeiro estágio da paixão passa, às vezes um relacionamento entra em crise. Alguns casais se separam, porque acham que, se não sentem mais a mesma paixão, a chama do amor se esgotou. É verdade que alguns sentimentos desaparecem, mas apenas para dar lugar a algo mais profundo: a intimidade.

É a intimidade, não a paixão, que cria o sentimento de felicidade e realização em um relacionamento. A intimidade é uma proximidade emocional e espiritual com outra pessoa na qual a verdadeira amizade é construída.

A paixão também desempenha seu papel no casamento, mas o fato é que com o tempo – ou talvez com a chegada das crianças – nossos sentimentos mudam e evoluem, e é bom ter certeza de manter o fogo aceso, mesmo que a chama seja menos visível.

Criando espaço

Os estágios finais de um relacionamento são cruciais, pois é quando nos abrimos mais do que nunca. Nós confiamos uns nos outros e falamos sobre nossos medos, dificuldades e fraquezas. É importante criar um espaço onde ambos se sintam seguros para que isso aconteça.

Ao criar espaço, quero dizer focar na outra pessoa quando ela fala sobre as coisas que são importantes para ela – mesmo que essas coisas não sejam importantes para você – e não julgar. Se o seu cônjuge vem falar sobre algo do qual ele não se orgulha, e você diz: “Como você pôde fazer algo tão estúpido?”, então há uma boa chance de que no futuro você não descubra seus sentimentos e coisas que não estão indo tão bem em sua vida.

Uma atmosfera de confiança e segurança é essencial. Se dermos um ao outro nossa compreensão e apoio e não nos julgarmos, isso será um marco significativo na construção de nossa amizade dentro de nosso casamento.

A escolha é sua

O seu cônjuge ser também seu grande amigo(a) depende muito de você, e de você estar emocionalmente maduro e pronto para se abrir e desnudar sua alma diante da pessoa amada.

Adão e Eva estavam nus no paraíso e não tinham segredos, e o mesmo é possível em todo casamento. A chave é que ambos os cônjuges confiem suficientemente no outro para compartilhar seus maiores segredos e buscar apoio mesmo nas situações mais embaraçosas.

Quebrar essa barreira de medo e vergonha não é fácil, mas dá ao relacionamento conjugal a chance de entrar no próximo estágio: um estágio em que seu cônjuge é seu melhor amigo(a), a primeira pessoa a celebrar seus maiores sucessos e enxugar suas lágrimas em seus maiores fracassos.