Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Por que algumas catedrais têm labirintos no chão?

CHURCH LABYRINTH
Compartilhar

O elemento decorativo começou a ser usado no século IV

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

Parece que os labirintos não têm muito a ver com a arquitetura cristã nem com história das artes decorativas cristãs, né. Claro, encontramos decorações labirínticas em colunas góticas, manuscritos e alguns jardins franceses e ingleses (embora estes não sejam encontrados em contextos religiosos). Porém nada que possa assemelhar-se ao próprio labirinto clássico egípcio ou grego, como os descritos por Heródoto, Plínio ou na mitologia. 

No entanto, como sempre, há exceções à regra. Algumas catedrais francesas, como as de Amiens, Chartres, Reims, Saint-Quentin e Saint-Omer, ainda hoje são relativamente bem conhecidas por causa de seus grandes labirintos pintados no chão. Além disso, algumas catedrais não-medievais (como a Grace Cathedral em San Francisco, Califórnia) também apresentam labirintos no chão. 

Vale dizer que o primeiro labirinto encontrado em uma igreja cristã é a calçada do século IV da Basílica de São Reparato, na Argélia. Mas qual é, então, o significado dos labirintos na arte cristã e, mais especificamente, nos pisos das catedrais?

De acordo com a explicação mais difundida, os labirintos foram originalmente usados como alusões simbólicas à Cidade Santa (Jerusalém), dando assim ao labirinto um significado espiritual. Os labirintos serviam como substitutos de caminhos de peregrinação. Por isso eram considerados simbólicos “caminhos para a Terra Santa”. Aqueles que não podiam ir em peregrinação a Jerusalém andavam pelos labirintos – alguns até de joelhos – enquanto rezavam algumas devoções específicas (como as estações da Cruz, por exemplo). 

Esse  tipo de peregrinação simbólica foi praticada em Chartres no século XVII, embora existam poucas evidências que apoiem essa afirmação.

Alguns outros estudiosos argumentam que os labirintos eram usados durante a Semana Santa, representando a angústia de Cristo (mas também não há evidências que apoiem essa afirmação).

Provavelmente, há uma explicação mais simples e direta: o padrão de labirinto previa uma decoração geométrica limpa e elegante para as igrejas – sem outros significados.

Dê uma olhada na galeria abaixo para admirar alguns desses belos padrões decorativos encontrados em algumas das maiores catedrais medievais da Europa.

Tags:
cultura