Aleteia
Quinta-feira 22 Outubro |
São Moderano
Estilo de vida

A cada 8 minutos, uma criança é medicada de forma incorreta

NAJPOPULARNIEJSZE IMIONA 2018

Colin Maynard/Unsplash | CC0

Reportagem local - publicado em 17/01/19

Pequenas mudanças na maneira de medicar as crianças podem causar graves danos

Chamou a atenção das redes sociais a notícia de que um bebê de 4 meses passou mal depois de receber loção contra piolhos ao invés de medicação oral para inflamação. Foi um erro da unidade de saúde que forneceu a medicação para a mãe do bebê em Vila Velha, no Estado do Espírito Santo (Brasil).

Felizmente, o bebê se recuperou, mas o caso traz à tona um fato preocupante: a alta frequência com que crianças são erroneamente medicadas no mundo.

Um estudo publicado em 2014 pela revista Pediatrics afirma que a cada 8 minutos uma criança é medicada de maneira incorreta. Após quatro anos dessa publicação, é verdade que o quadro pode ter mudado, mas provavelmente não drasticamente. A pesquisa analisou dados de mais de dez anos, entre 2002 e 2012, do Sistema Nacional americano de casos de envenenamento e intoxicação.

Alguns aspectos relevantes a considerar:

Medicamentos líquidos

82% dos erros registrados referem-se a medicamentos líquidos, comparados a 14,9% relacionados a cápsulas e comprimidos.

A dosagem errada apareceu como um dos problemas mais frequentes no caso de medicamentos líquidos. É devido, por exemplo, ao uso de medidas caseiras, como colheres de sopa ou chá, que não têm um tamanho padrão estabelecido pela indústria farmacêutica. A imprecisão pode representar uma grande diferença na dosagem de acordo com a concentração de cada medicamento.

Uma solução para reduzir o risco de dosagens incorretas é usar seringas e copos de dosagem, que são normalmente vendidos junto com os medicamentos, para medir de forma exata o que foi prescrito.

Relação entre as doses e a idade e peso da criança

Outro problema comum é ignorar que a dose do medicamento varia de acordo com a idade e o peso da criança: a dose tomada no ano anterior, por exemplo, pode não ser o mais apropriado para a situação atual. Uma dose mais baixa pode ser ineficaz, enquanto uma excessiva pode trazer riscos e efeitos secundários como aumento da pressão arterial, da temperatura corporal ou mesmo levar a intoxicação.

Automedicação

Quem decide prescrever remédios para si ou para seus filhos pode causar mais mal do que bem. Entre os casos mais comuns de automedicação são o uso de medicamentos incompatíveis com a situação clínica, o uso de substâncias que só camuflam sintomas sem realmente tratar a doença, misturar medicamentos, alterando seus efeitos, além de obter resultados contraproducentes, como no caso dos antibióticos que, tomados indiscriminadamente, tornam as bactérias mais resistentes em vez de combatê-las.

Horários e intervalos

Cerca de um quarto dos erros de medicação em crianças estão relacionados com intervalos mal administrados entre as doses, sendo principalmente nos casos em que a criança recebe a dose de remédio mais cedo do que deveria.

Misturas para “suavizar” o sabor

Como muitas crianças rejeitam certos medicamentos por causa do sabor desagradável, é comum que pais e mães misturem o remédio em sucos, refrigerantes e achocolatados. Caso o médico permita diluir o medicamento no suco, por exemplo, use pequenas quantidades de suco.

A criança deve aprender que o medicamento que está tomando é importante para combater uma doença. É necessário que o adulto responsável seja firme e ao mesmo tempo cuidadoso, sem forçar nem usar recursos como tapar o nariz da criança.

Comprimidos e cápsulas

Os comprimidos podem, em muitos casos (o médico irá orientar), ser cortados em até quatro partes, mas as cápsulas devem ser engolidas inteiras, sem abrir.

Armazenamento

O local e as condições fazem muita diferença: umidade e temperatura, por exemplo, afetam as propriedades dos medicamentos. É aconselhável mantê-los na embalagem original e armazenar em um local seco e arejado, evitando a cozinha e banheiro, além, é claro, de mantê-los fora do alcance das crianças.

Bula e embalagem

É fundamental ler cuidadosa a bula e a embalagem do remédio, para ter certeza de que é a medicação correta, verificar as indicações e prevenir quaisquer efeitos indesejados.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
CriançasFamíliaFilhosmedicinaSaúde
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
nuvens sinais
Reportagem local
Estão sendo fotografados "sinais do céu"?
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia