Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Brumadinho: Igreja se mobiliza para ajudar vítimas da tragédia

Presidência da República/Divulgação
Compartilhar

Voluntários e religiosos se unem para levar solidariedade e apoio espiritual neste momento de dor e revolta

O rompimento da barragem de rejeitos de minério em Brumadinho, MG, deixou mortos e centenas de desaparecidos. Muita gente perdeu seus pertences por causa do mar avassalador de lama que se formou nas regiões ribeirinhas. 

Logo após a tragédia, centenas de voluntários se juntaram para prestar o amparo às vítimas. Muitas pessoas ainda não têm informações sobre familiares desaparecidos; outras precisam de orientação sobre identificação dos corpos, velórios e enterros. 

A arquidiocese de Belo Horizonte se juntou a um comitê formado por representantes do Governo de Minas, da Prefeitura de Brumadinho, da Defensoria Pública da União e líderes da sociedade civil. O objetivo é somar forças em nome da solidariedade neste momento de dor e revolta. 

Durante encontro com os membros do comitê, a Igreja reforçou a importância de um acompanhamento ainda mais próximo do poder público, especialmente no cadastro das vítimas. Esse cadastro é determinante nos processos de indenização, conforme explica o frei Rodrigo Pereira, da Comissão de Mineração da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Dia e noite em contato com as vítimas, padre Renê reforça o entendimento de que a tragédia devastou a comunidade. “Cada lar de Brumadinho está sofrendo de algum modo. Os funcionários da Vale eram moradores da nossa cidade.” 

A Secretária Estadual de Impacto Social, Elizabeth Jucá, informou que o Estado está fazendo o cadastro das pessoas desaparecidas. Familiares podem procurar o Ginásio Poliesportivo da Cidade e também a Estação do Conhecimento, levando fotos dos que não estão nos registros oficiais.

O prefeito de Brumadinho, Alvimar de Melo disponibilizou o Ginásio Poliesportivo da Cidade para que os mortos sejam velados. Padres da Arquidiocese de Belo Horizonte e de Congregações Religiosas se organizam para oferecer assistência espiritual aos enlutados.

Representando o Movimento dos Atingidos pela Barragem na reunião, Joceli Andreolli indicou o que deve ser prioridade: “As pessoas saberem onde estão seus mortos, para sepultá-los, com a devida assistência espiritual”.

Apoio de seminaristas

Seminaristas da Arquidiocese de Belo Horizonte deram uma pausa no retiro espiritual que sempre fazem no início de ano. Eles seguiram para  Brumadinho com a missão de levar a solidariedade e o conforto da Palavra de Deus à população atingida pelo rompimento da barragem no Córrego do Feijão.

Os seminaristas do Seminário Coração Eucarístico de Jesus (Sacej) rezam com a população na Igreja São Sebastião, visitam as famílias que sofrem com a morte e o desaparecimento de parentes e amigos.

Campanha solidária #JuntosporBrumadinho

A Arquidiocese de Belo Horizonte iniciou uma campanha solidária para arrecadar roupas, alimentos e água, que serão destinados aos atingidos pelo rompimento da barragem.

As doações podem ser entregues (todos os dias, inclusive aos sábados e domingos, das 8h às 18h) no Vicariato Episcopal para a Ação Social e Política (Rua Além Paraíba, 208 – Lagoinha | (31) 3423-2187).

Para a população de Brumadinho as doações podem ser entregues na Paróquia São Sebastião. Também é possível fazer doações em dinheiro. Para saber mais, clique aqui. 

Fonte: Arquidiocese de Belo Horizonte 

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.