Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 31 Julho |
home iconAtualidade
line break icon

Lama de barragem da Vale polui rio e afeta comunidade indígena

MUD

Rogério Alves/TV Senado

Agências de Notícias - publicado em 28/01/19 - atualizado em 28/01/19

As buscas, interrompidas durante a noite, foram retomadas na manhã de segunda-feira com o apoio de um contingente de 136 especialistas procedentes de Israel

O vazamento de lama e rejeitos de mineração que se seguiu ao rompimento da barragem da companhia Vale na Mina do Córrego do Feijão, na cidade de Brumadinho (MG), avançou até o rio Paraopeba, afetando o abastecimento de água potável de uma comunidade indígena, informaram fontes da região.

“Ontem [domingo] às 4h da manhã reparamos que o rio já chegou sujo, e às 16h começaram a aparecer os peixes mortos”, disse por telefone à AFP o cacique Háyó Pataxó Hã-hã-hãe, que se reuniu nesta segunda-feira (28) com um representante da Fundação Nacional do Índio (Funai).

A aldeia Naô Xohã (“espírito guerreiro”) é formada por 27 famílias que vivem nas margens do Paraopeba, no município São Joaquim de Bicas, – a cerca de 20 km de Brumadinho -, onde ocorreu a tragédia que, segundo o último balanço provisório, deixou 60 mortos e 292 desaparecidos.

“Eles estão em uma área segura em relação à posição do rio e até ontem nos informaram que tinham pequenas reservas de água”, afirmou em nota Jorge Luiz de Paula, coordenador regional da Funai, que esteve na comunidade.

A enxurrada de lama teve início com o rompimento da barragem da Vale, na sexta-feira. No sábado, os rejeitos começaram a chegar ao rio Paraopeba, a poucos quilômetros das instalações, segundo porta-vozes de governos municipais da região.

Nesta segunda-feira, a Funai levou doações à comunidade indígena, que com a poluição do rio ficou privada de água potável e de pescar, o que também ameaça sua alimentação.

“Estamos em uma situação muito séria (…). Dependíamos do rio e o rio morreu. Não sabemos o que fazer”, disse o cacique Háyó.

A Secretaria do Meio Ambiente informou que está preparando um informe sobre a situação do rio Paraopeba.

“É muito preocupante, a gente viu o avanço da lama tóxica, a perspectiva é que ela avance 220 kms até a barragem [da usina hidrelétrica] de Retiro Baixo, onde se diz que esses rejeitos podem ser contidos”, disse à AFP Marcelo Laterman, geógrafo e porta-voz da campanha Clima e Energia do Greenpeace.

Ao chegar ao complexo de Córrego do Feijão, “vimos o impacto no leito do rio, que estava completamente destruído, assim como as áreas de vegetação”, acrescentou.

Balanço

O rompimento da barragem em Brumadinho deixou pelo menos 60 mortos e 292 desaparecidos, de acordo com um balanço atualizado divulgado por autoridades.

As autoridades também informaram que 382 pessoas foram localizadas e 192 resgatadas com vida.

A catástrofe de sexta-feira liberou uma avalanche de lama e resíduos de mineração que avançou pelo complexo de Brumadinho, cidade de 39.000 habitantes próxima da capital de Minas Gerais.

O balanço de domingo à noite registrava 58 mortos e 305 desaparecidos.

As buscas, interrompidas durante a noite, foram retomadas na manhã de segunda-feira com o apoio de um contingente de 136 especialistas procedentes de Israel.

“A prioridade é procurar sobreviventes e vítimas”, disse o o governador de Minas Gerais, Romeu Zema.

Apesar da possibilidade cada vez menor de encontrar sobreviventes, o porta-voz da Defesa Civil, tenente-coronel Flávio Godinho, disse que “ainda há chances de encontrar pessoas com vida”.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
2
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira rezou todos os dias às 3h...
3
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
4
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
5
David Arias
Reportagem local
Ex-satanista mexicano retorna à Igreja e testemunha: “O ter...
6
Claudio de Castro
Como salvar nossas almas nos últimos minutos antes da morte
7
Pessoa idosa rezando o terço
Reportagem local
Brasil: carta de despedida de bisavó de 96 anos comove as redes s...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia