Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Venezuela: grupo armado invade Missa para crianças da Primeira Comunhão

@CEVmedios
Compartilhar

A suspeita é que o grupo ligado ao governo de Nicolás Maduro queria assassinar o padre

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

O Padre Andry Sánchez, da paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe em Maracaibo, na Venezuela, informou que a igreja que ele administra foi profanada por “grupos armados ligados ao partido do governo” de Nicolás Maduro. A ação revoltante e violenta aconteceu “exatamente quando era celebrada uma Missa com crianças que se preparam para a Primeira Comunhão.”

O conselho de leigos da paróquia enviou um comunicado à Aleteia. O documento diz que o grupo invadiu a igreja “com paus, armas de fogo e até granadas”. Segundo o conselho, a profanação “colocou em perigo a vida de quase setecentas pessoas que estavam na Igreja, além de gerar danos físicos e morais” aos participantes da Eucaristia.

Tentaram matar o padre 

O Padre Raúl Montoya disse, em vídeo que circula nas redes sociais, que o Santíssimo foi profanado e que o grupo saiu atirando dentro da igreja para dispersar os fiéis. Ainda de acordo com o religioso, o Padre Andry Sánchez foi agredido e a intenção dos criminosos era matá-lo. 

O bispo de San Cristóbal, Monsenhor Mario Moronta, disse que este não foi um caso isolado. “Em várias reuniões temos avisado que é provável que surjam ações violentas contra os padres e contra outras instâncias da Igreja”, disse o religioso. Ele ainda lembrou que no dia 23 de janeiro, em Maturín, uma catedral foi cercada por militares e por coletivos de Maduro. O bispo disse que eles prenderiam sacerdotes, caso os religiosos incentivassem protestos. 

Clique em “Abrir a galeria de fotos” para ver como ficou a igreja depois do ato de violência.