Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

“Jogo dos Dilemas”, criado por brasileira, ensina ética e valores para crianças

FINANCIAL EDUCATION
ESB professional - Shutterstock
Compartilhar

São 40 cartas com situações cotidianas para que crianças e adolescentes avaliem momentos complexos em que é preciso tomar decisões éticas

O recomendado portal Sempre Família publicou uma interessante matéria sobre um jogo de cartas focado em educar – e em educar na ética!

Trata-se do “Jogo dos Dilemas“, composto por 40 cartas que trazem situações cotidianas para que crianças e adolescentes possam reviver ou ensaiar momentos em que é preciso ser ético acima de tudo.

A autora do texto do Sempre Família, Angélica Favretto, observa que “é na infância que as crianças assimilam com maior facilidade os valores passados pelos pais e adquirem a noção de ética que será aprimorada ao longo da vida“. Elas aprendem pelo exemplo muito mais do que pelas palavras.

E foi para estimular a prática da ética mediante exemplos concretos de situações desafiadoras que Viviani Zumpano, atuante há 30 anos no ramo educacional, criou o “Jogo dos Dilemas”. Especialista em problemas de aprendizagem, Viviani resume:

“Hoje, mais do que nunca, esse é um requisito básico para a evolução do ser humano”.

Como é o jogo

São 40 cartas com situações cotidianas. Viviani comenta:

“Um exemplo de dilema apresentado no jogo: na escola, entre colegas, a criança e um outro aluno acertam e erram o mesmo número de questões, mas o outro tira uma nota maior. O que fazer? Permanecer com sua nota correta e deixar que o amigo tire vantagem ou avisar o professor?”

Outra carta aborda o dilema do roubo e da fome: a mãe de um filho faminto rouba uma lata de leite no supermercado.

Por exigir leitura e interpretação, a faixa etária indicativa para o jogo é de 8 a 14 anos. O recurso pode ser usado por pais, escolas e consultórios, principalmente com crianças que tenham diagnóstico de hiperatividade, déficit de atenção e comportamento impulsivo.

“Em família o jogo é muito útil, justamente porque as crianças se espelham nas atitudes dos pais e, com as propostas das cartas, eles podem debater e apresentar pontos de vista”.

Processo de “ensaio” para a vida real

Um dos grandes ganhos da criança com o jogo é que, se ainda não viveu aquele dilema, ela entra em um “processo de ensaio”.

“Ela experimenta situações e pode refletir e aprender, desenvolvendo o contexto e olhando sob a ótica de um terceiro. Para crianças e adolescentes, muitas vezes, o que fazem de certo está condicionado ao medo. Por ser um jogo que faz refletir, eles optam pelo certo porque é o certo e não porque alguém vai repreendê-los posteriormente”.

______________

A partir de matéria do Sempre Família

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.