Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Imagem de Nossa Senhora é achada intacta em mar de lama de Brumadinho

Rogerio Fernandes / Facebook
Compartilhar

Sinal de esperança e recomeço: se devemos atribuir a alguém a culpa pela morte de um semelhante, certamente não é a Deus

O socorrista Rogério Fernandes, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), fez parte de uma equipe que partiu de Arapongas, no Paraná, para ajudar nos trabalhos de resgate em Brumadinho, Minas Gerais, após o rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão.

Em 28 de janeiro, ele publicou no Facebook um vídeo em que se vê uma capelinha com a imagem de Nossa Senhora Aparecida encontrada intacta em meio à massiva quantidade de dejetos e rejeitos que destruiu tudo a seu passo, matando mais de 130 pessoas e deixando quase duas centenas de desaparecidos, conforme os números parciais divulgados até o momento.

O socorrista escreveu:

“Sei que tenho amigos aqui que não compactuam da mesma devoção ou religião que eu. Porém, quando me deparei com uma imagem de Nossa Senhora Aparecida que havia sido retirada de uma casa que sumiu na lama e totalmente intacta, cheguei a me emocionar quando vi a cena”.

O vídeo

O vídeo comoveu milhares de internautas, que responderam com ofertas de orações pelas vítimas, pelos sobreviventes atingidos diretamente e pelas heroicas pessoas engajadas nos trabalhos de resgate:

“Que Nossa Senhora cubra todos vocês que estão aí, lutando para salvar vidas”.

“Me tocou grandemente e peço a Nossa Mãezinha que abençoe as famílias que estão sofrendo com essa tragédia e a vocês que estão nesta missão”.

Sinal de esperança

É relativamente frequente que, após catástrofes naturais, sejam encontradas imagens de Maria ou de Jesus intactas embora dezenas de pessoas tenham perdido a vida.

Não se considera milagrosa a descoberta dessas imagens, já que a sua preservação pode ser explicada por diferentes razões perfeitamente naturais. Muito menos se pretende dizer que a imagem como tal tenha mais valor que uma vida.

O que se destaca é o caráter simbólico de uma imagem religiosa ser achada inteira no meio de escombros, pois o fato pode ser interpretado como um sinal de encorajamento, esperança e recomeço. Afinal, Deus pode inspirar-nos o tempo todo mediante os acontecimentos do cotidiano – alguns deles incomuns e, por isso mesmo, extraordinários.

Mas por que Deus não salvou as pessoas em vez da imagem?

Quanto ao fato sempre triste da perda de vidas, é importante compreender que Deus não mata ninguém: Ele apenas respeita as consequências da liberdade humana e é coerente com a Sua própria decisão de nos criar autônomos e responsáveis pelo que fazemos com a criação, inclusive quando colocamos em risco a vida do nosso próximo. Se devemos atribuir a alguém a culpa pela morte de um semelhante, certamente não é a Deus.