Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Francisco Marto: “Sofro para consolar Nosso Senhor”

São Francisco Marto
Santuário de Fátima
Compartilhar

Para atender a um pedido de Nossa Senhora de Fátima, ele mergulhou em sofrimento, mas nunca perdeu a alegria

Entre os pastorinhos, Francisco Marto foi quem demostrou grande afeto pela Sagrada Eucaristia, logo em seguida Jacinta. A primeira vez que a recebeu foi em 1916, o que fez com que seu amor por Nosso Senhor aumentasse. Eis o que ele diz:

“Eu sentia que Deus estava em mim, mas não sabia como era!”

No ano seguinte foi quando ocorreu a primeira aparição de Fátima (13 de Maio de 1917). Nossa Senhora pedia orações do Santo Rosário pela conversão dos pecadores e que oferecessem sacrifícios pela remissão dos ultrajes cometidos a Deus.

Ela foi atendida e eles adotaram tais práticas. Rezavam o Santo Rosário e praticavam a “flagelação” pois como eram crianças, achavam que não tinham o que oferecer.

Meses depois Ela aparece mais uma vez aos três, porém estava tomada por um ar de tristeza. Foi quando Nossa Senhora pediu:

“Não ofendam mais a Deus Nosso Senhor que já está muito ofendido.”

Tais palavras sensibilizaram Francisco. Fizeram com que ele encontrasse uma nova razão para orar cada vez mais pelo conforto de Jesus. Dessa maneira Maria não sofreria.

Leia um pequeno trecho escrito por Lúcia em uma de suas cartas:


Francisco Marto PNH– Francisco, tu de que gostas mais: de consolar a Nosso Senhor ou converter os pecadores, para que não (vão) fossem mais almas para o inferno?

– Gosto mais de consolar Nosso Senhor.
Não reparaste como Nossa Senhora, ainda no último mês, se pôs tão triste, quando disse que não ofendessem a Deus Nosso Senhor, que já está muito ofendido?
Eu queria consolar a Nosso Senhor e depois converter os pecadores, para que não O ofendessem mais.

Francisco almejava ir para o céu, pois somente assim poderia confortar pessoalmente Nosso Senhor. O que ocorreu de certa forma, já que ele foi alvo de uma pneumonia, passou dias acamado e faleceu mais tarde.

Lúcia escreveu em suas cartas que sempre quando ia fazer uma visita, ele estava alegre. Ele dizia que estava oferecendo suas dores ao Nosso Senhor e que, muito em breve, Fátima iria buscá-lo.

(Associação Devotos de Fátima)