Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

5 maneiras de incentivar a autoconfiança nas crianças

PARENTING
Iakov Filimonov - Shutterstock
Compartilhar

Para crescer e amadurecer, as crianças precisam enfrentar situações desafiadoras

Uma zona de conforto é, por definição, um lugar agradável: um lugar em que você se sente confortável e seguro, onde não precisa correr riscos e suas chances de fracasso são baixas. Por um lado, isso é bom, mas por outro não oferece a alegria que vem de superar um medo, realizando uma tarefa ou projeto difícil, ou simplesmente descobrindo que você é capaz de fazer algo que nunca pensou que poderia.

Existem algumas correntes de pensamento motivacional que encorajam os pais a fazer todo o possível para garantir que seus filhos estejam sempre à vontade e seguros, raramente experimentando fracassos, e que nunca sejam forçados a fazer algo que não queiram fazer.

Esse tipo de abordagem, embora implementada com boas intenções, priva as crianças de aprender como enfrentar situações difíceis ou experiências que as ajudariam a amadurecer e prepará-las para a vida adulta.

Não é que o fracasso e a dificuldade devam ser buscados por si mesmos. Mas se os pais não incentivam os filhos a deixar sua zona de conforto – o que eles amam fazer ou podem fazer sem dificuldade – eles não conseguirão explorar as muitas opções que a vida lhes oferece.

Aqui estão algumas dicas para ajudar seus filhos a saírem da zona de conforto, começando com seu próprio exemplo de pai/mãe:

Lidere pelo exemplo

Se as crianças observarem o pai ou a mãe enfrentar situações difíceis, tentar coisas novas ou superar seus medos, elas também poderão fazê-lo. Sair da sua própria zona de conforto também é uma forma de mostrar a seus filhos tudo o que você pode desafiar.

Console e dê apoio

Será mais difícil para as crianças deixarem sua zona de conforto se não sentirem que seus pais estão lá para apoiá-las. O papel dos pais não é superproteger os filhos nem tentar evitar que experimentem qualquer frustração, mas acompanhá-los no caminho do crescimento, consolá-los se as coisas derem errado e convidá-los a recomeçar quando necessário.

Comece com pequenos desafios

Não é uma questão de levar seu filho ao topo do prédio mais alto da vizinhança, se ele tem medo de altura, ou de fazer sua filha falar em público se ela é tímida, mas de escolher desafios mais modestos que permitirão que seus filhos saiam da sua zona de conforto gradualmente. Poderia ser simplesmente conversar com outra criança no parque ou deslizar no escorregador mais alto. São essas pequenas coisas que lhes darão a sensação de progredir e superar seus medos.

Não importa se eles falharem

Expor-se ao fracasso e aceitar que as coisas não saiam como planejado é o primeiro passo fora da zona de conforto. Isso ajuda nossos filhos a se tornarem resilientes e perseverantes. Os fracassos os ajudam a aprender a superar o desapontamento e a perceber que isso não é o fim do mundo.

Busque inspiração

Leia para as crianças histórias que retratam personagens fortes, corajosos, ousados e que superaram seus medos. Isso é uma boa maneira de tirar as crianças da zona de conforto. Conversar com elas sobre esses valores faz com que elas queiram aplicá-los na vida real.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.