Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Novak Djokovic: antes de ser atleta, sou cristão

NOVAK DJOKOVIC
ANDREJ ISAKOVIC | POOL | AFP
Compartilhar

Se tivéssemos que fazer uma lista dos principais atletas cuja generosidade é inquestionável, o nome de Djokovic certamente estaria presente

Depois de ficar afastado das quadras de tênis por seis meses devido a uma lesão no cotovelo, o tenista sérvio Novak Djokovic retorna agora ao circuito da ATP. É seguro afirmar que esse homem, que dominou a elite mundial do tênis de agosto de 2014 a novembro de 2016, conseguiu encontrar a energia de que precisava para seu retorno graças à sua leitura regular da Bíblia.

Cristão ortodoxo

O ex-tenista número 1 do mundo é cristão ortodoxo, e não hesita em dizê-lo publicamente. Não é incomum observar Novak Djokovic invocando Cristo durante uma partida ou usando uma cruz em volta do pescoço para testemunhar sua fé. Para ele, sua crença religiosa vêm antes de seus 68 títulos, incluindo 12 torneios de Grand Slam ganhos desde o início de sua carreira.

“Este é o título mais importante da minha vida, porque antes de ser um atleta, eu sou um cristão ortodoxo”, disse ele em abril de 2011, quando recebeu a ordem de St. Sava em primeiro grau das mãos de Irineu, o Patriarca da Igreja Ortodoxa Sérvia. A ordem de St. Sava é a mais alta distinção na Igreja Ortodoxa Sérvia, e foi dada a ele especialmente por ter contribuído financeiramente para a renovação de edifícios religiosos em sua terra natal, a Sérvia.

Caridade

Milionário graças aos seus ganhos nas quadras e numerosos contratos de publicidade, Novak Djokovic voluntariamente coloca sua fortuna a serviço dos pobres. Em dezembro passado, a Fundação Novak Djokovic, da qual ele é um dos principais benfeitores, contribuiu com 94.000 euros para a renovação de uma escola em Pozega (Sérvia).

Em outubro passado, o tenista anunciou a abertura de um restaurante na Sérvia, oferecendo comida de graça para mendigos e pobres. “Dinheiro não é um problema para mim. Eu ganhei o suficiente para alimentar toda a Sérvia. Eu acho que eles merecem depois do apoio que recebi deles ”, disse em um comunicado divulgado na época.

O destino das crianças de seu país (onde o salário mínimo é de 200 dólares por mês) particularmente capta a atenção caridosa de Novak Djokovic. É por isso que, em 2015, sua fundação uniu forças com o Banco Mundial para fornecer aos menores sérvios acesso à formação. O UNICEF o nomeou Embaixador da Boa Vontade na Sérvia em agosto de 2015.

“Novak Djokovic é um verdadeiro campeão para crianças em todo o mundo. Ele mostra que a ação determinada pode fazer a diferença para as crianças e os jovens”, disse Yoka Brandt, vice-diretora da UNICEF.

Família

Como cristão que viveu sua infância em um país repleto de conflitos violentos – a guerra entre a Bósnia e Herzegovina durou de 1992 a 1995 – Novak Djokovic nunca perdeu de vista suas raízes. E isso certamente é bem-vindo por sua esposa Jelena, a quem ele começou a namorar em 2005, quando cursaram a mesma escola em Belgrado. Eles fizeram seus votos de casamento diante de Deus em julho de 2014, e seus dois filhos se chamam Stefan (3 anos de idade) e Tara (4 meses de idade). Podemos imaginar que a vida em casa será uma excelente escola para aprender não só o tênis, mas também a generosidade.