Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

A bondade radical das meninas adolescentes

TEENAGE GIRLS
Shutterstock
Compartilhar

Eu aprendi em primeira mão que as adolescentes nem sempre são o estereótipo que imaginamos

Na semana passada, um garoto da escola chamou minha filha de 13 anos de algo terrível em uma conversa em grupo. Quando ela me contou, a raiva de mãe se manifestou, e eu pedi para ver o texto completo. Com certeza, lá estava ele – seguido por 12 outros textos, como se um insulto não tivesse acabado de ser lançado diretamente em minha filha.

Então veio o texto 13, de uma das colegas de classe de Sienna. “Gente, vamos fingir que não aconteceu?”. Eu podia sentir a indignação nas palavras desta adolescente, sua raiva justa em nome da minha filha. Uma por uma, as meninas começaram a criticar o insultador e defender Sienna. Então elas começaram a enviar textos individuais para confortá-la e para lhe assegurar que estavam do seu lado.

Eu me aproximei da minha filha adolescente preparada para uma reação dramática. Mas o que eu vi muito mais foi a capacidade impressionante que as adolescentes têm para compaixão – um traço que nossa sociedade ignora completamente. Um recente post de Medium detalha a bondade radical que uma mãe de uma adolescente testemunhou enquanto esperava com a filha por um concerto:

Observei uma menina cuidadosamente arrumar um fio solto no suéter de outra garota. Eu ouvi uma garota sussurrar: “Alguém tem um absorvente” e testemunhei uma dúzia de mãos procurando em bolsas e mochilas para ajudar. Eu ouvi as meninas discutindo abertamente suas inseguranças, sabendo que suas amigas não explorariam a vulnerabilidade, mas tentariam ajudá-la.

Mais e mais, eu testemunho a bondade radical das meninas. Se você tiver a sorte de ter garotas adolescentes no seu feed do Instagram, observe o que acontece quando tem um aniversário. Você nunca viu tanto derramamento de amor e consideração. Elas são gratas em seus elogios umas às outras, mas também específicas. Elas constroem umas às outras, dia após dia. Elas parecem saber o quanto o resto do mundo tentará derrubá-las.

Quando uma das garotas faz aniversário, as outras garotas chegam cedo à escola e decoram seu armário. Os armários sempre parecem explosões de cor e caos quando elas terminam, mas se você olhar mais de perto, poderá ver quantos detalhes pensados ​​foram feitos nas decorações.

Adesivos minúsculos de voleibol, balões em forma de basquetebol, máscaras de comédia/drama, tudo escolhido a dedo, são apenas alguns dos itens que as meninas usaram para celebrar a singularidade de cada uma. Presentes são oferecidos durante todo o dia, às vezes extravagantes – uma das amigas da minha filha lhe deu uma Bíblia encadernada em couro personalizada em seu aniversário de 13 anos.

Essas adolescentes não limitam apenas sua gentileza radical aos aniversários. Sienna está sempre sintonizada com a vida emocional de suas amigas, ciente de quem teve um dia ruim na escola e quem ficou de castigo em casa. Ela envia e recebe textos – durante o horário que ela pode usar o celular – cheios de elogios efusivos e expressões de afeto.

E os poucos exemplos de dramatização e catástrofe que experimentamos quase sempre foram resolvidos rapidamente pelas próprias meninas, sem que um adulto precisasse intervir. Eu já vi desculpas chorosas, sinceras e espontâneas, oferecidas por garotas adolescentes que mostram uma surpreendente maturidade e ternura. Para ser sincera, às vezes sinto inveja da profundidade das amizades de minha filha – gostaria de ter amigos tão verdadeiros e gentis quanto essas adolescentes.

Como adultos, devemos prestar mais atenção à compaixão das adolescentes. Devemos gastar mais tempo elogiando-as por suas virtudes do que desprezando suas falhas percebidas. Talvez se passássemos menos tempo acreditando e perpetuando os estereótipos sobre garotas adolescentes, perceberíamos que elas realmente têm muito a nos ensinar sobre gentileza e amizade – e essas lições são aquelas que precisamos reaprender.