Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

2,7 milhões de venezuelanos já deixaram o país desde 2015

MIGRANTS
Compartilhar

Em média, no ano de 2018, 5.000 pessoas deixaram a Venezuela a cada dia

Cerca de 2,7 milhões de venezuelanos fugiram de seu país desde o início da crise política e econômica, e o fluxo de saídas não diminui, anunciou a ONU nesta sexta-feira.

Em um comunicado conjunto, o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM) informaram que, no total, 3,4 milhões de venezuelanos vivem no exterior, dos quais 700.000 partiram antes de 2015.

Desde esta época, cerca de 2,7 milhões de venezuelanos encontraram refúgio em países vizinhos, como Colômbia e Peru.

Em média, no ano de 2018, 5.000 pessoas deixaram a Venezuela a cada dia.

Com base nesses números, a ONU declarou em dezembro que espera que o número de pessoas fugindo do país atinja os 5,3 milhões no final desse ano.

A Colômbia recebeu 1,1 milhão de refugiados e migrantes venezuelanos, seguida pelo Peru, com 506.000 pessoas, Chile 288.000, Equador 221.000, Argentina 130.000 e Brasil 96.000.

“Os países da região estão demonstrando grande solidariedade em relação aos refugiados e migrantes da Venezuela (…) Mas esses números ressaltam os desafios que pesam sobre as comunidades de acolhida e as necessidades permanentes de apoio da comunidade internacional”, declarou Eduardo Stein, representante especial do Acnur e da OIM para os refugiados e migrantes da Venezuela.

O êxodo de venezuelanos fugindo da situação econômica desastrosa no país é considerado pela ONU o mais maciço da história recente da América Latina.

A Venezuela possui as maiores reservas de petróleo do mundo, mas está asfixiada por uma profunda crise econômica e é alvo de sanções financeiras dos Estados Unidos.

(AFP)

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.