Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O povo do Brasil dá a mão aos irmãos da Venezuela

Ajuda Brasil Venezuela
Compartilhar

A verdadeira fraternidade não é feita de ideologia, mas de obras reais - como Jesus deixou bem claro ao elencar as Obras de Misericórdia

A ilustradora Gisele Daminelli, de Santa Catarina, publicou em sua conta no Twitter uma imagem que resume tanto o sentimento quanto a postura prática de solidariedade que se espera dos brasileiros diante dos irmãos venezuelanos, vítimas da insanidade criminosa de uma ditadura disposta a matá-los de fome antes de renunciar a um projeto do poder disfarçado de “revolução popular”.

O texto postado por Gisele é curto e direto: “Vamos ajudar!! O povo venezuelano precisa!!“. O que mais “fala” em sua postagem, no entanto, é a própria imagem que ela compartilhou:

Oração pelo povo da Venezuela

Muitas preces podem ser feitas pelos nossos irmãos venezuelanos, mas a oração que queremos propor é uma meditação, diante de Deus, baseada nas palavras do próprio Cristo sobre o que devemos fazer em prol dos nossos irmãos em necessidade: trata-se da passagem de Mateus 25, 34-46 em que Ele nos apresenta as Obras de Misericórdia corporais.

É um lembrete de que “a fé sem obras é morta” e de que as promessas manipuladoras e mirabolantes das ideologias humanas de nada servem quando não se age de verdade e na prática em prol do povo por quem se finge lutar.

Com a palavra, Jesus Cristo:

“Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita:

‘Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo. Porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era estrangeiro e me hospedastes; estava nu e me vestistes; adoeci e me visitastes; estive na prisão e me fostes visitar’.

Então os justos lhe responderão, dizendo:

‘Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? E quando te vimos enfermo ou na prisão e fomos ver-te?’

E, respondendo o Rei, lhes dirá:

‘Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes’.

Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda:

‘Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. Porque tive fome e não me destes de comer; tive sede e não me destes de beber; sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes’.

Então eles também lhe responderão, dizendo:

‘Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos?’

Então lhes responderá, dizendo:

‘Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim’.

E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna”.