Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 10 Abril |
São Miguel de los Santos
home iconEstilo de vida
line break icon

Por que reprimir as emoções é ruim para a saúde

EMOTIONAL INTELLIGENCE

Eugenio Marongiu - Shutterstock

Javier Fiz Pérez - publicado em 25/02/19

Se suas emoções não encontrarem uma solução saudável, elas vão fazer você sofrer por isso

Como qualquer pessoa com um pouco de experiência de vida pode lhe dizer, há uma forte conexão entre nossas emoções e nosso estado físico de bem-estar.

Os efeitos vão nos dois sentidos. Podemos nos sentir emocionalmente deprimidos quando nosso corpo sofre com uma lesão ou doença. E, quando estamos deprimidos, estressados, com raiva, nosso corpo reflete isso de várias formas. Essa relação emoção-corpo é um tema importante do estudo psicológico.

Há manifestações naturais, normais e saudáveis ​​de emoção, como rir, chorar ou gritar. No entanto, quando essas expressões naturais são reprimidas, certos sentimentos também podem se expressar como doenças psicossomáticas: sintomas físicos geralmente associados a outras causas (uma infecção, uma lesão, um distúrbio autoimune), mas que também podem ser o resultado de não lidar adequadamente com sentimentos.

As 3 emoções básicas “negativas” e suas expressões naturais

Existem três emoções “negativas” básicas que experimentamos. “Negativo” está entre aspas aqui, porque, como tal, esses sentimentos não são ruins; na verdade, são reações saudáveis ​perante situações ruins, projetadas para nos ajudar a reagir apropriadamente. No entanto, elas são desagradáveis, então tendemos a pensar nelas como negativas.

Tristeza é a reação a uma perda de qualquer tipo. Podemos ter perdido uma pessoa, um relacionamento, uma oportunidade, um objeto, a esperança de alcançar um objetivo. A tristeza é uma das principais emoções do luto. A expressão natural mais óbvia da tristeza é, claro, chorar. Quanto mais profundo e verdadeiro o nosso choro, mais nos liberta.

O medo é uma reação a uma ameaça, real ou imaginária. É uma resposta que nos adverte que estamos em perigo e mobiliza a energia necessária para que possamos lidar com a ameaça lutando, fugindo ou “congelando”.

A raiva é uma reação à agressão. Quando nos sentimos fisicamente ou psicologicamente atacados, sentimos raiva em relação ao agressor. A expressão natural da raiva é reagir com força verbal ou física para nos defender contra o agressor.

Lidando com nossos sentimentos

Nosso corpo tem um jeito natural de expressar emoções, quer falemos ou não delas. As sensações físicas que acompanham as emoções que sentimos estão nos dizendo que precisamos agir para restaurar o equilíbrio. Às vezes, porque nos sentimos inibidos pelo nosso meio ambiente ou pelo modo como fomos criados ou educados, não prestamos atenção a elas e não resolvemos a situação.

Consequentemente, nossas emoções negativas tendem a se acumular e podem se manifestar através de outros sintomas físicos. É quando começamos a ter dores de cabeça, dores de estômago, dores musculares no pescoço e parte superior ou inferior das costas, angina (dor no peito), dor de garganta, fadiga crônica, tontura, bruxismo (ranger os dentes), eczema ou psoríase (são tipos de inflamação na pele), asma ou alergias.

Algumas pessoas são mais propensas a doenças psicossomáticas do que outras. Muitos estudos mostraram a conexão entre a personalidade e as doenças físicas, descobrindo, por exemplo, que as pessoas que tendem a se isolar e/ou não expressam seus sentimentos são mais propensas a sofrer esse tipo de problema. Precisamos nos conscientizar das reações de nosso corpo e aprender a prestar atenção a elas e lidar com elas, em vez de reprimi-las.

Um meio importante de trabalhar com nossos sentimentos e dar-lhes uma saída saudável é compartilhá-los com os outros. É também uma forma de demonstrar confiança e segurança no apoio que nossa família e amigos nos oferecem. Relacionamentos baseados em amor e amizade autênticos, nos quais somos honestos e abertos sobre quem somos e o que sentimos, são um meio eficaz de proteger nossa saúde emocional e, portanto, física.

Tags:
Bem estarPsicologiaSaúde
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Jim Caviezel
J-P Mauro
Jim Caviezel fez o que pode ser considerado um dos maiores discur...
2
ALTAR BOY,
Un cammino chiamato famiglia
Coroinha desmaia durante Via Sacra, mas a cru...
3
PRINCE PHILIP
Cerith Gardiner
11 fatos interessantes sobre o falecido príncipe Philip
4
Padre Gilvan Manuel da Silva perde pais e irmãos para covid-19
Reportagem local
Padre perde pais e irmãos para covid-19 e afirma: “Continua...
5
FRANCISCO AND JACINTA MARTO
Tom Hoopes
As lições dos pastorinhos de Fátima aplicadas ao coronavírus
6
Reportagem local
Santo Sudário, novo estudo: “Não é imagem de morto, mas de ...
7
SAINT JOSEPH
Philip Kosloski
10 coisas sobre São José que você precisa saber
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia