Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 20 Outubro |
São Cornélio
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

Papa advoga por um tipo de política que supere ideologias

POPE AUDIENCE

Antoine Mekary | ALETEIA

Vatican News - publicado em 05/03/19

“É necessária uma nova presença de católicos na política na América Latina”

“É necessária uma nova presença de católicos na política na América Latina”: palavras do Papa Francisco ao receber em audiência nessa segunda-feira, no Vaticano, participantes de um Programa de pós-graduação em Doutrina Social da Igreja e compromisso político na América Latina.

O seminário foi promovido pela Pontifícia Comissão para a América Latina, com a colaboração do Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM) e da Fundação Konrad Adenauer.

Para Francisco, esta “nova presença” não implica somente novos rostos nas campanhas eleitorais, mas, principalmente, novos métodos que permitam forjar alternativas que simultaneamente sejam críticas e construtivas.

O Papa recordou que ser católico comprometido na política não significa ser um recruta de algum grupo, organização ou partido, mas viver dentro de uma comunidade.

“As circunstâncias em que vivemos não mudarão de imediato”, constatou o Papa. Todavia, podemos olhar para a realidade de maneira nova, podemos viver com renovada paixão os desafios na construção do bem comum. “Não nos esqueçamos que entrar na política significa apostar na amizade social.”

Francisco citou São Óscar Arnulfo Romero como um santo guiado pela Doutrina Social da Igreja e com a mente e o coração depositados em Jesus.

Romero inspira os católicos a reencontrarem os motivos pelos quais vale a pena fazer política, mas a partir do Evangelho, superando as ideologias.

“A política não é a mera arte de administrar o poder, os recursos ou as crises. A política é uma vocação de serviço.”

Na América Latina e em todo o mundo, acrescentou Francisco, vive-se uma verdadeira “mudança de época”, que exige renovar linguagens, símbolos e métodos.

Não se trata simplesmente de melhorar uma estratégia de “marketing”, mas aplicar o mesmo método que Deus escolheu para se aproximar de nós: a Encarnação.

“Vocês como jovens católicos dedicados a diversas atividades políticas têm que ser vanguarda no modo de acolher as linguagens e os sinais, as preocupações e as esperanças dos setores mais emblemáticos da mudança de época latino-americana.”

O Papa apontou para três setores que considera mais simbólicos desta mudança de época: as mulheres, os jovens e os mais pobres.

Essas três categorias são “locais do encontro privilegiado com a nova sensibilidade cultural emergente e com Jesus Cristo”. “Se não quiseremos nos perder num mar de palavras vazias, olhemos sempre o rosto das mulheres, dos jovens e dos pobres. Devemos olhá-los como sujeitos de transformação e não como meros objetos de assistência.”

Eis então que uma nova presença de católicos na política é necessária na América Latina – o que não implica somente novos rostos nas campanhas eleitorais, mas, principalmente, novos métodos que permitam forjar alternativas que simultaneamente sejam críticas e construtivas.

Para isso, é preciso valorizar o povo e os movimentos populares de um modo novo. “Fazer política inspirada no Evangelho a partir do povo em movimento pode se tornar uma maneira poderosa de sanar nossas frágeis democracias e de abrir o espaço para reinventar novas instâncias representativas de origem popular.”

O Pontífice convidou os jovens a viverem sua fé com grande liberdade, sem jamais acreditar que existe uma única forma de compromisso político para os católicos. “Um partido católico: quem sabe foi esta a primeira intuição no despertar da Doutrina Social da Igreja que, com o passar dos anos, se foi ajustando ao que realmente tem que ser a vocação do político hoje em dia na sociedade, cristão. Não funciona mais o partido católico.”

Francisco concluiu seu discurso insistindo na importância da origem mestiça da América Latina e pedindo a intercessão de São Juan Diego para que quando faltarem as forças para lutar pelo povo, possamos nos recordar que é precisamente na debilidade que a fortaleza de Deus pode fazer seu melhor trabalho.

(Com Vatican News)

Tags:
PapaPolítica
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
AVENIDO BROTHERS
Agnès Pinard Legry
Três irmãos são ordenados padres no mesmo dia
4
COMMUNION
Philip Kosloski
Oração ao seu anjo da guarda antes de receber a comunhão
5
MARRIAGE
Matrimonio cristiano
Beijar a aliança todos os dias: uma indulgência especial aos casa...
6
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
7
Carlo Acutis
Gelsomino Del Guercio
“Ele fechou os olhos sorrindo”: foi assim que Carlo Acutis morreu
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia