Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O Papa Francisco está fazendo o seu Retiro Espiritual de 5 dias nesta Quaresma

Papa retiro quaresma 2019
Compartilhar

Começou ontem: é uma semana de oração e meditação, suspendendo todas as atividades públicas

Todos os anos, na Quaresma, o Papa interrompe todas as suas atividades públicas para se dedicar a uma semana de retiro: são os seus Exercícios Espirituais.

O retiro deste ano

  • Em 2019, os Exercícios Espirituais do Papa começaram neste domingo, 10, e vão até a próxima sexta, 15.
  • O local é a Casa Divino Mestre, em Ariccia, nas proximidades de Roma.
  • O tema deste ano é “A cidade dos desejos ardentes: olhares e gestos pascais na vida do mundo”.
  • O pregador é o abade Bernardo Francisco Maria Gianni, da Abadia de São Miniato no Monte, de Florença, na Itália.
  • Serão 10 meditações ao todo, sendo duas por dia.

Pedido de oração

O perfil oficial do Papa no Twitter pediu neste domingo:

“Peço a todos que se recordem na oração de mim e dos colaboradores da Cúria Romana, que nesta noite iniciaremos a semana de Exercícios Espirituais”.

Atividades suspensas

Durante os Exercícios Espirituais do Papa, ficam suspensas todas as audiências pontifícias, inclusive a audiência geral da quarta-feira, 13 de março – dia em que Francisco completará 6 anos da sua eleição à Cátedra de Pedro.

A primeira meditação

Vatican News

Confira dois destaques da meditação inicial proposta pelo abade Bernardo aos participantes do retiro:

“O olhar sobre o deserto das cidades” – O pregador os convidou a olharem com fé para a cidade que muitas vezes oferece “a cinza, empoeirada, inerte, sem sinal de vida, de um fogo que não queima mais; que não arde mais”. É um olhar animado pelo Espírito Santo, pela Palavra do Senhor; um olhar que não tem dificuldades em reconhecer que, realmente, as nossas cidades são um deserto.

“Reacender o fogo do amor” – Mas esse mesmo olhar é um estímulo para reacendermos o fogo, para darmos novamente a vida verdadeira em Cristo:

“Uma cidade em que, com o amor da Igreja, com a santidade da Igreja, pode voltar, deve voltar, a se acender o fogo do amor (…) Que a nossa ação pastoral, a nossa dedicação às pessoas que nos são confiadas pelo Senhor, possam realmente ser de novo chama viva de desejo ardente, e voltar a ser um jardim de beleza, de paz, de justiça, de medida, de harmonia”.