Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 04 Agosto |
São João Maria Vianney
home iconEstilo de vida
line break icon

O que é um trauma e como superá-lo?

WOMAN

Public Domain

Javier Fiz Pérez - publicado em 19/03/19

É durante a infância e a adolescência que as pessoas são mais vulneráveis e ficam marcadas pelo que acontece com elas

Um trauma é uma ferida psíquica que algumas pessoas sofrem como consequência de um episódio ou um conjunto de episódios negativos em sua vida, o que as afeta de forma dramática, causando-lhes sofrimento e angústia emocional. Os traumas modificam sua personalidade e afetam sua atitude e seu comportamento futuro perante situações similares.

É importante esclarecer que o trauma, muitas vezes, é resultado daquilo que a pessoa percebeu, e não do fato em si, ou seja, do que realmente aconteceu. Por exemplo, uma pessoa sente que foi rejeitada e que não foi amada durante a infância, mas isso não significa que tenha sido realmente assim. No entanto, ao ter vivenciado essa experiência negativa como se fosse verdadeira, ela soferrá as consequências que derivam de um trauma emocional.

Quem pode sofrer um trauma e por que

Um trauma pode acontecer em qualquer idade. No entanto, é na infância e na adolescência, momentos da vida em que se é mais vulnerável, que a pessoa fica marcada com mais força. Nessas etapas da vida ainda não se tem uma personalidade definida, e se tem pouca capacidade de resposta para fazer frente a acontecimentos que influem negativamente nas pessoas.

Há acontecimentos na infância que marcam para sempre e que deixam sequelas, dependendo, sobretudo, da gravidade do episódio e da frequência com que ocorreu.

Como superar um trauma

Todas as pessoas, em qualquer idade, podem ficar traumatizadas por um evento negativo que lhe ocorra em um determinado momento. O importante é enfrentá-lo e não permitir que tal evento o afete durante toda a vida. Para isso, é aconselhável:

– Assumir o passado. A vida das pessoas está cheia de vivências e recordações, algumas agradáveis e outras tristes e dolorosas. O problema surge quando as recordações desagradáveis deixam rupturas, isto é, tais recordações se vivem com especial intensidade e causam uma profunda dor e angústia. É fundamental descobrir a origem desses temores para aprender a enfrentar o problema e assim poder solucioná-lo.

– Contar com o apoio de amigos e familiares. Em alguns casos concretos, pode-se encontrar apoio no nível social, segundo o tipo de trauma sofrido. As mulheres maltratadas ou vítimas de abuso sexual podem buscar apoio em centros sociais que tenham entre suas funções ajudar vítimas de violência de gênero ou de agressões sexuais.

– Consultar um profissional. Em determinadas ocasiões, não se tem clareza sobre a causa do trauma. O principal, neste caso, é descobrir a causa para compreender o porquê do problema e a partir daí implementar a solução. É aconselhável ir a um profissional para que, através de conversas ou mediante algum tipo de terapia, tenha-se ajuda para encontrar a origem do problema.

–Superar o sentimento de culpa. Há pessoas que se sentem culpadas pelo evento que lhes causou o trauma. Elas consideram que poderiam tê-lo evitado ou que foram elas que provocaram a situação. Nesses casos, o primeiro passo é superar o sentimento de culpa. Deve-se ter claro que elas são vítimas e que não fizeram absolutamente nada para que aquilo acontecesse.

– Mudar a conduta. Isso consiste em modificar os pensamentos, sentimentos e emoções. Pois pode ser que a partir do evento traumático apareça uma série de condutas irracionais. O profissional ajuda a compreender a irracionalidade dessas condutas, desmontando essas ideias e ensinando a modificá-las ou a mudá-las por outras alternativas.

O apoio da família e a vida afetiva estável e serena são um dos meios mais eficazes para superar situações de conflito e trauma pessoal. O amor cura as feridas com uma eficácia maravilhosa.

Tags:
CriançasDepressãoEducação dos FilhosInteligencia emocionalViolência
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
Gritos levam polícia à casa de dois idosos, que choravam copiosam...
2
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento a si mesmo e ao seu...
3
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
4
Pe. Edward Looney
Padre revela: por que sempre levo água benta comigo ao viajar
5
MAN
Reportagem local
Oração da noite para serenar o espírito e pacificar a ansiedade
6
sacerdotes
Reportagem local
Suicídio de sacerdotes: desabafo de padre brasileiro comove as re...
7
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia