Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Roma: arqueologia e tecnologia proporcionam uma visita virtual ao passado

DIGITAL ROME
Compartilhar

Projeções digitais mostram a longa e célebre história da Cidade Eterna

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

A cidade de Roma está mergulhada em uma história cultural impossível de ser ignorada. Todos os prédios, estátuas e esquinas escondem um capítulo da longa história do local. Para turistas e visitantes, os monumentos e a arquitetura são belos, mas é preciso muito conhecimento histórico para montar o quebra-cabeça da cidade de quase 2.800 anos. Diz-se que é preciso uma vida inteira para ver Roma. Porém,  graças à tecnologia moderna, isso pode estar mais fácil do que nunca. 

A Cidade Eterna está passando pelo que a Forbes descreve como um “Renascimento digital”, uma vez que curadores combinam tecnologia moderna com arqueologia antiga para trazer a história de volta à vida. Os projetores de vídeo retratam imagens do passado sobre ruínas, exibições de luzes multimídia capturam a imaginação de multidões e viseiras 3D revelam reconstruções virtuais de monumentos e estruturas mais antigos.

Essas produções se devem, em grande parte, ao físico nascido em Roma, Paco Lanciano, que encontrou uma maneira de educar com sua paixão pela comunicação cultural. Lanciano acredita que, se você tornar a educação divertida, é mais fácil aprender e reter o conhecimento. Ele disse à Forbes: “Você precisa encontrar um equilíbrio entre criar algo espetacular para atrair a atenção do público e, ao mesmo tempo, ajudá-lo a aprender o processo. Mas é mais fácil dizer do que fazer.”

Mais de uma década atrás, Lanciano começou a trabalhar com Piero Angela, um importante apresentador de televisão e jornalista científico italiano, para projetar o espetáculo digital “Palazzo Valentini”, que oferece uma visita imersiva multimídia ao “Le Domus Romane”.

“A experiência foi surpreendente, porque esses dois mundos – tecnologia e arqueologia – nunca haviam se sobreposto antes. Na Itália, sempre houve uma separação entre ciência e humanidades, mas a ciência também faz parte da cultura. O propósito da ciência é entender, assim como o da arqueologia”, disse Lanciano sobre seu projeto inicial. “Não há razão para separar esses dois campos e, de fato, juntá-los pode produzir resultados muito positivos”, concluiu. 

O sucesso do “Palazzo Valentini” levou a uma maior colaboração entre Lanciano e Angela. Eles se reuniram novamente para produzir o “Viaggio nei Fori”, dois programas que projetam as histórias do imperador Augusto e Júlio César nos antigos fóruns a cada noite de verão. Essas apresentações se tornaram muito populares e são um marco dos meses de verão para os turistas. As apresentações acontecem de 21 de abril a 11 de novembro de 2019.

Agora, Lanciano criou uma produção ainda mais ambiciosa de educação teatral: “Bem-vindo a Roma”. A apresentação de 30 minutos sobre a cidade é feita ao longo de três paredes, com modelos tridimensionais de alguns dos principais marcos da cidade. 

“Bem-vindo a Roma” começa há milhares de anos com um punhado de tribos dispersas e se move rapidamente pelas muitas eras de Roma: a República Romana, o Império Romano, a Idade Média, a Renascença e finalmente os dias atuais. “Foi um grande desafio sintetizar a história de Roma, mas o feedback foi muito positivo”, disse Lanciano.

“Este é precisamente o meu método: deixar as pessoas experimentarem o prazer da descoberta e da compreensão”, diz Lanciano. “A experiência é a base da aprendizagem, por isso deve ser agradável. Eu sempre quero incentivar as pessoas a aprender mais. Não há nada mais tedioso do que algo que você não consegue entender. O tédio é meu inimigo”, conclui ele.