Aleteia
Segunda-feira 26 Outubro |
São Fulco
Em foco

Fecundação artificial e células-tronco

SCIENCE,INVITRO

Shutterstock

Vanderlei de Lima - publicado em 24/03/19

A Igreja é favorável a pesquisas e ao uso de células-tronco adultas, de adulto vivo para adulto vivo

Pessoas indagam sobre a posição da Moral Católica quanto à fecundação artificial e às células-tronco. É a tais pessoas que este artigo deseja, de modo breve, esclarecer.

Comecemos lembrando que a primeira temática – a da fecundação – está ligada à sexualidade humana, em seu aspecto reprodutor, ou seja, à perpetuação da espécie. À diferença dos animais irracionais, no entanto, que geram filhotes por pura necessidade instintiva, o homem e a mulher realizam o ato sexual com conotações sagradas: são parceiros de Deus em sua obra criadora.

A fecundação artificial é uma técnica que visa tornar grávida mulheres que não conseguem ser mães biológicas por meio da união sexual com o esposo. Na inseminação artificial, tem-se o ato ocorrido em organismo vivo a se subdividir em fecundação homóloga ou heteróloga ou, então, fora do organismo vivo (em proveta, portanto), que também se dá de dois modos: dentro do casal ou com ação interventora de terceiros.

Pois bem, na inseminação artificial homóloga, tem-se a colocação do sêmen do marido no organismo da mulher com ajuda (não com a substituição) da Medicina, dado que, no contexto de uma união normal isso não ocorreria. Tal prática é a única que pode ser aceita dentro de certas condições: 1) que a ação médica ajude a ação natural, mas não a substitua; 2) que o sêmen seja obtido do ato sexual em si, não via masturbação e 3) que a fusão do espermatozoide e do óvulo se dê dentro do organismo feminino, na trompa de Falópio, não fora (no tubo que injeta o sêmen masculino, por exemplo). Já na fecundação artificial heteróloga, a esposa é fecundada não pelo marido, mas, sim, com a semente vital de um terceiro, conhecido ou desconhecido. Há Bancos próprios nos quais se escolhe o tipo de sêmen desejado.

Na inseminação artificial em proveta, como o próprio nome diz, realiza- se a fecundação – de várias maneiras – fora do organismo humano. Dá-se entre o casal ao ser usado, é evidente, o espermatozoide do marido e o óvulo da esposa. Ocorre também o mesmo ato com a participação de terceiros, quando o óvulo ou o espermatozoide não é do casal. Feita a fecundação em proveta (ou in vitro), o embrião é implantado no corpo da mulher que será a mãe do bebê ou em outra senhora que se proponha a gerar o bebê – mediante pagamento (“barriga de aluguel”), ou não – para aquela que dele cuidará como mãe oficial depois do nascimento.

Todos esses atos são moralmente ilícitos. Ferem a geração natural da vida. No primeiro e no segundo caso, além de ferirem a correta transmissão da vida, tiram também o direito da criança de conhecer seus pais biológicos, de ser fruto do matrimônio, bem como quebram a dignidade do casamento ao inserirem nele outras pessoas. Mais: a fecundação in vitro gera a sobra de embriões e seu consequente “descarte”, o que é homicídio, pois há – de acordo com as ciências biológicas – vida desde a concepção.

Quanto às células-tronco, são definidas como células indiferenciadas capazes de se autorrenovarem e se diferenciarem, ou seja, podem duplicar-se e transformar-se em muitos outros tipos de células. Daí, sua importância. É preciso, todavia, distinguir células-tronco adultas e embrionárias.

A Igreja é favorável a pesquisas e ao uso de células-tronco adultas, de adulto vivo para adulto vivo, que, aliás, têm surtido efeitos promissores mundo afora. A moral católica opõe-se, no entanto, à manipulação de embriões humanos para a extração de células-tronco embrionárias, pois tal ato: a) fere a dignidade do embrião, autêntico ser humano desde a concepção, e não mera peça de reposição a adultos e b) produz um ser humano por meio da fecundação in vitro (no vidro), prática contrária ao ato sexual, único meio lícito estabelecido pela Lei natural moral para a geração da vida dentro do matrimônio.

Eis o que, por ora, caberia dizer sobre esse tema tão amplo e complexo.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco e casais homossexuais: o que e...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia