Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O dia em que Papa ligou pessoalmente para uma mulher que ia abortar…

POPE FRANCIS,BABY
Antoine Mekary | Aleteia | I.Media
Compartilhar

...e se ofereceu para ser o padrinho do bebê!

A italiana Anna Romano, então com 35 anos de idade, escreveu uma carta dolorosa ao Papa Francisco em 2013, o primeiro ano dele como pontífice.

Anna contou que estava grávida. O pai do bebê era um homem casado, mas de quem ela não era a esposa. Era sua amante. Diante da notícia da gravidez, o homem rompeu a relação extraconjugal e a pressionou para que abortasse o filho indesejado. Anna quis então desabafar com o Papa antes de eliminar o bebê.

Foi então que um telefonema mudou tudo.

Era uma terça-feira, 3 de setembro de 2013: o próprio Papa ligou pessoalmente para Anna.

“Fiquei de boca aberta. Eu ouvi o Papa falar. Ele tinha lido a minha carta. Ele afirmou para mim que o bebê é um presente de Deus, um sinal da Providência, e me disse que eu nunca estaria sozinha”.

Alguns minutos de conversa com Francisco foram suficientes para que Anna mudasse de ideia e desistisse de abortar o seu filhinho.

Entrevistada por vários jornais italianos, ela relatou, ainda, que o Papa tinha se oferecido para batizar a criança e que ele próprio gostaria de ser o padrinho.

“Ele encheu o meu coração de alegria quando me disse que eu era corajosa e forte pelo meu filho”.

A história de Anna repercutiu mundialmente nas páginas de jornais como os italianos Il Messagero e Corriere della Sera, o espanhol ABC e o britânico Telegraph, entre dezenas de outros.

E o bebê nasceu mesmo?

Nasceu, sim. E foi batizado pelo Papa, sim!

Aconteceu no domingo dedicado à celebração do Batismo do Senhor, dia 12 de janeiro de 2014. Na ocasião, o Papa batizou 32 crianças na Capela Sistina e, entre os bebês, estava aquele que o próprio Francisco tinha salvado do aborto: o filho de Anna Romano.

Quantos milhões de bebês exterminados pelo aborto poderiam ter sido salvos no mundo com um pouco de empatia, compreensão e incentivo à esperança e ao amor?

Sobre a foto desta matéria

A foto que ilustra esta matéria é apenas ilustrativa. Ela foi registrada por Antoine Mekary, fotógrafo de Aleteia, durante um encontro do Papa Francisco com os peregrinos no Vaticano em 2017. Não temos imagens públicas de Anna Romano e do seu bebê.

Escrevendo para o Papa

Você também quer mandar uma carta para Francisco? É mais fácil do que poderia parecer. Saiba como:

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.