Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O país americano em que 9 mil igrejas fecharão por falta de fiéis

© Dany_M
Compartilhar

Além da perda de locais sagrados e de vínculos comunitários e espirituais fundamentais, o fenômeno preocupa até quem zela por locais históricos

O Canadá já foi, até algumas décadas atrás, um país religioso. No entanto, a veloz secularização e a consequente redução aguda na quantidade de fiéis que frequentam as igrejas vem levando ao atual cenário em que se prevê o fechamento de um terço delas nos próximos dez anos.

Em paralelo, o governo do primeiro-ministro Justin Trudeau, do Partido Liberal, tem promovido maciçamente, desde 2015, a imposição de ideologias como a de gênero e a progressiva criminalização da defesa da família tradicional como crime de opinião.

A organização National Trust for Canada, que preserva e renova lugares históricos, estima que cerca de 9 mil igrejas serão fechadas até 2030 no país por causa da baixa frequência de fiéis e dos altos custos de manutenção de templos antigos.

Robert Pajot, presidente dessa organização, declara:

“É provável que alguns edifícios sejam vendidos, enquanto outros vão ser simplesmente demolidos. Muitos estão preocupados com a perda de locais sagrados, mas também há muitos outros preocupados com a perda de edifícios históricos. Não são apenas edifícios. O impacto vai além da perda de um patrimônio em comunidade. Há um sentimento de que uma perda mais profunda está ocorrendo nas cidades e povoados afetados por esses fechamentos. Em particular, eles vão perder um senso de comunidade que apareceu ao longo do tempo e foi fomentado nas igrejas”.

De fato, os locais de fé alimentaram a vida comunitária durante gerações, além de formarem laços de convivência nas cidades e nos povoados. As igrejas são centros de encontro em muitos lugares: lá se realizam reuniões, casamentos, funerais e uma amplíssima gama de serviços à população. Com o fechamento, esses vínculos tendem a se dissolver.

Pajot prossegue:

“Para muitos, é um momento triste, difícil de lidar pelas comunidades que usavam os locais como centros comunitários. Outros veem esta mudança como uma oportunidade para deixar o passado ir embora e recuperar áreas e edifícios que poderiam ser usados de maneira ‘mais eficaz’ para ajudar a servir às comunidades”.

Algumas igrejas tentaram “modernizar-se”, compartilhando espaços com outros grupos na tentativa de permanecerem de pé. Isso, porém, gerou controvérsias, já que elas podem tornar-se assim lugares “menos sagrados” por servirem de palco de eventos não religiosos.

_____________

Com informações da ACI Digital

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.