Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 04 Agosto |
São João Maria Vianney
home iconEstilo de vida
line break icon

Papa: educar com amor e não ter medo da realidade

Vatican News - publicado em 07/04/19

Respostas do Papa Francisco a um grupo de estudantes e professores de uma escola de Milão

O Papa Francisco recebeu nesse sábado na Sala Paulo VI, no Vaticano, cerca de 2.600 estudantes e docentes do Colégio São Carlos de Milão, por ocasião dos seus 150 anos de atividades.

Trata-se de uma Escola particular fundada, em Milão, em 1869, com o objetivo de “formar almas ricas, com uma cultura saudável, preservando-as da falta de religião”. Um dos seus alunos foi Achille Ratti, futuro Papa Pio XI.

Em lugar de discursar, o Papa preferiu responder a algumas perguntas de um estudante, duas professoras e uma mãe de um aluno.

Deus não faz distinções

A primeira pergunta foi feita pelo aluno, Adriano que disse. “O que nós e a Escola podemos fazer concretamente pelas pessoas menos desfavorecidas que nós? Por que parece que Deus tem preferências?”

E o Papa respondeu:

“Há perguntas que não têm nem terão respostas. Devemos nos habituar a isso. (…) Somos nós que fazemos distinções. Nós somos artífices das diferenças e inclusive diferenças de dor, de pobreza. Por que hoje no mundo existem tantas crianças famintas? Por que Deus faz esta distinção? Não! Quem o faz é o sistema econômico injusto.”

Não se trata de ser comunista, acrescentou Francisco, mas é o ensinamento de Jesus. “Devemos sempre fazer perguntas incômodas. Nós cresceremos e nos tornaremos adultos com a inquietação no coração. E depois devemos estar consciente de que somos nós que fazemos as distinções.”

Cultura cristã

A seguir, uma professora, Silvia, disse ao Papa: “Como podemos transmitir melhor, aos nossos alunos, os valores enraizados na cultura cristã e conciliá-los com outras culturas”?

Francisco respondeu: “Aqui a palavra-chave é ‘radicados’. E para ter raízes são necessárias duas coisas: consistência e memória. O mal de hoje, segundo os analistas é – seguindo a escola de Bauman – a liquidez. (…) Regar as raízes com o trabalho, com o confronto com a realidade, mas crescer com a memória das raízes”.

O Pontífice aproveitou para falar dos migrantes e recordar que somos todos migrantes, que Jesus era um migrante. E quem os acusar de serem delinquentes, o Papa recordou: “A máfia não foi inventada pelos nigerianos; é um valor nacional [italiano]. A máfia é nossa, made in Itália: é nossa. Todos temos a possibilidade de ser delinquentes”.

Educar com amor

Uma terceira pergunta foi dirigida a Francisco por outra professora, Júlia: “Como nós, educadores e estudantes, podemos dar exemplo e testemunho da nossa nobre, mas difícil tarefa”?

Para o Papa, as palavras-chave são: testemunho e sustento. O educador deve se confrontar continuamente com a realidade, “sujar as mãos”, “arregaçar as mangas”. “O testemunho é não ter medo da realidade.” Já o sustento significa “doçura”. “Não se pode educar sem amor. Não é possível ensinar palavras sem gestos e o primeiro gesto é o carinho: acariciar os corações, acariciar as almas. E a linguagem da carícia qual é? A persuasão. Educa-se não com escribas, não com segurança, mas com a paciência da persuasão.”

Ninho vazio

Por fim, a mãe de um aluno, Marta, também dirigiu sua palavra ao Papa, pedindo seu parecer de como acompanhar e orientar seus filhos nas suas escolhas futuras.

Francisco aconselhou os pais a não sofrerem da síndrome do “ninho vazio”.

“Vocês pais não devem ter medo da solidão, não tenham medo! É uma solidão fecunda. E pensem nos muitos filhos que estão crescendo e estão fazendo outros ninhos, culturais, científicos, de comunhão política e social. É preciso proximidade com os filhos para ajudá-los a caminhar.”

(Vatican News)

Tags:
EducaçãoPapa Francisco
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
Gritos levam polícia à casa de dois idosos, que choravam copiosam...
2
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento a si mesmo e ao seu...
3
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
4
Pe. Edward Looney
Padre revela: por que sempre levo água benta comigo ao viajar
5
MAN
Reportagem local
Oração da noite para serenar o espírito e pacificar a ansiedade
6
sacerdotes
Reportagem local
Suicídio de sacerdotes: desabafo de padre brasileiro comove as re...
7
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia